NiTfm live

Miúdos

Badoca Park lança apelo para ajudar a alimentar os animais durante a pandemia

O parque temático no Alentejo partilhou um apelo nas redes sociais para conseguir manter as portas abertas e pagar aos funcionários.
Recebem cerca de 15 mil alunos todos os anos.

Com a entrada do País em estado de emergência, no final de março, muitos foram os espaços que se viram forçados a fechar portas para travar o alatramento da pandemia da Covid-19. Entre eles, estava o Badoca Safari Park, no Alentejo.

Este parque temático depende inteiramente das receitas de bilheteira para pagar aos funcionários, manter o espaço e alimentar os cerca de 400 animais de 75 espécies diferentes. O seu encerramento veio acompanhado de um enorme esforço financeiro — dos 25 funcionários, 22 foram colocados em lay-off de forma a reduzir as despesas.

A Páscoa é a altura mais importante do ano para o negócio, em que recebem uma boa percentagem dos milhares de visitantes anuais, mas em plena pandemia não foi possível acumular as receitas que permitem sobreviver ao inverno, já que o espaço encerra entre novembro e março. Todos os anos, o Badoca recebe cerca de 15 mil alunos e 120 mil visitas. Mesmo abrindo no verão, esses meses calmos não vão compensar as perdas que já foram sentidas.

Francisco Simões de Almeida, sócio-gerente do espaço, não viu outra solução se não colocar um apelo nas redes sociais do parque: “Nesta fase difícil que todos passamos, que obrigou ao encerramento do Badoca Safari Park, a nossa maior preocupação é a de garantir a alimentação e o bem-estar dos nossos animais, bem como o pagamento das remunerações dos nossos trabalhadores”, começa o texto.

Para os ajudar a manter as portas abertas, pedem uma contribuição a todos aqueles que o possam fazer para o IBAN do Badoca Safari Park, PT50 0010 0000 2117 4780 001 94.

Noutra publicação na sua página de Instagram publicada a 17 de abril, no mesmo dia, revelam que também estão a aceitar doações de em géneros para alimentar os animais, como sementes de girassol, vegetais, bananas, laranja e qualquer tipo de fruta, amendoins, sementes de papagaio, forragem, silagem, luzerna e ração para girafas, cangurus, aves, porcos e flamingos são alguns dos exemplos que partilham.