NiTfm live

Miúdos

Ministério cria Instagram para os alunos partilharem o seu #estudoemcasa

As casas de cada um são as novas salas de aula, e o governo quer um lugar virtual onde todos partilhem as suas.
Foto já partilhada no Instagram.

Não há recreio à hora marcada, matemática seguida de português, não há as conversas com os amigos no intervalo, o almoço na cantina e o ritual de ir para a escola. Por causa da pandemia de coronavírus, a grande maioria das escolas do País estão fechadas, pelo menos até 9 de abril — sendo expectável que este prazo seja alargado. E as salas de aula são agora os quartos, salas ou cozinhas de cada um, onde milhares de crianças portuguesas fazem tarefas enviadas pelos professores para manterem o aproveitamento escolar.

Por isso, o Ministério da Educação tomou a iniciativa de desafiar os alunos a partilhar nas redes sociais imagens suas a estudar nas novas “salas de aula improvisadas” nesta fase de estado de emergência provocado pela pandemia da Covid-19.

Segundo a Lusa, citada pelo “Sapo 24”, a ideia é criar um movimento que mobilize todas as famílias que, de um dia para o outro, se viram obrigadas a estudar e a trabalhar em casa.

Nesta missão lançada no Dia Nacional do Estudante que se assinala esta terça-feira, 24 de março, o governo convidou o youtuber Windoh, para deixar uns conselhos aos alunos, tais como manter as rotinas e o contactos com os amigos da escola; fazer os trabalhos pedidos pelos professores e manter o contacto com o diretor de turma; ou preservar um horário de trabalho, uma rotina e praticar desporto com recurso a aulas online.

O gabinete de imprensa do ME lembra que a ideia é partilhar “nas suas redes sociais uma foto em casa, em ambiente de estudo, e coloquem a hashtag #EstudoEmCasa, criando um movimento nacional de motivação para que alunos, famílias, docentes, não docentes e escolas prossigam esta caminhada, num ano letivo que, inesperadamente, já tem contornos diferentes do habitual”.

As fotografias espalhadas pelas redes sociais serão compiladas na página de Instagram. O repto foi imediatamente aceite pelos portugueses e já há imagens de vários miúdos nesta conta.