NiTfm live

Na cidade

Lisboa e Margem Sul vão estar ligadas por táxis fluviais a partir deste verão

Vai deixar de ter apenas barcos à hora marcada para atravessar o rio. Turismo de Lisboa avança com vários mini portos.
Mais alternativas para atravessar o rio.

Esperar pelo barco à hora marcada ou planear a sua vida consoante o início e o fim dos transportes públicos fluviais pode ter os dias contados. Conforme já tinha sido noticiado, Lisboa vai mesmo ter táxis fluviais para a Margem Sul do Tejo — e vice versa. E tudo isto já a partir deste verão.

A informação é avançada esta quarta-feira, 8 de janeiro, pelo “Dinheiro Vivo“. Segundo esta plataforma, a Associação de Turismo de Lisboa vai recuperar vários postos de acostagem para barcos para permitir a criação destes serviços, mas as embarcações também vão poder usar os terminais da Transtejo/Soflusa.

De acordo com o site, o projeto Rede Cais do Tejo, a ser apresentado esta quarta-feira pela Câmara de Lisboa, contempla a recuperação pela associação de turismo de postos de acostagem dos dois lados do rio, devendo ficar disponíveis mais de uma dezena de locais. Em Lisboa poderão ser utilizados espaços como a Marina do Parque das Nações, Cais da Matinha, Terreiro do Paço, Cais do Sodré, Cais Gás, Alcântara e Belém e na Margem Sul, o Cais do Ginjal será recuperado ficando também disponíveis Cacilhas, Trafaria, Porto Brandão, Barreiro, Seixal e Montijo.

O projeto é uma ideia da vereadora da CML Teresa Leal Coelho, que explicou ao “DV” que com estes portos poderão ser desenvolvidos novos negócios para fins recreativos e contribuir para melhorar o rendimento das famílias. Está assim aberta a porta a novos serviços fluviais, ou mesmo a apps como a Uber Boats ou até a novos transportes coletivos.