NiTfm live

na cidade

Alerta: os recursos renováveis portugueses esgotaram-se este sábado

De acordo com a Associação Zero, se todos os outros países vivessem como em Portugal seriam precisos 2,19 planetas para sobrevivermos.

Paisagens como esta podem desaparecer.

Em outubro de 2016, Leonardo DiCaprio tentou explicar ao mundo tudo o que era preciso fazer para evitar que o planeta gastasse mais recursos do que aqueles que tem na realidade. “Before the Flood” foi transmitido na National Geographic e muitos foram os portugueses que prestaram atenção às palavras do ator, mas parece que não surtiu grande efeito.

Segundo a Zero, a Associação Sistema Terrestre Sustentável, em parceria com a Global Footprint Network, Portugal esgotou todos os seus recursos naturais renováveis para 2018. A partir deste sábado, 16 de junho, todos os portugueses estão já a consumir recursos como a água ou o vento que deveriam ser utilizados apenas a partir de 1 de janeiro de 2019. 

“Portugal é, há já muitos anos, deficitário na sua capacidade para fornecer os recursos naturais necessários às atividades desenvolvidas”, pode ler-se no comunicado oficial. “A nossa pegada per capita é de 3,69 hectares globais, mas a nossa biocapacidade é de 1,27 hectares globais.”

Em 2017, o mundo esgotou os seus recursos naturais a 1 de agosto. Tal como explica a associação, se todos os países vivessem como em Portugal, seriam necessários 2,19 planetas para acompanhar este gasto. A última vez que todo o planeta conseguiu não gastar todos os seus recursos anuais foi em 1970.

Tal como explicam os investigadores, o consumo de alimentos contribui 32% para a pegada ecológica nacional enquanto a mobilidade fica nos 18%. Estas são as duas atividades que mais contribuem para o gasto destes recursos no País.