NiTfm live

Na cidade

Procura de passes na Grande Lisboa duplicou com os novos preços

Desde abril que o número de utilizadores dos transportes públicos da Área Metropolitana não tem parado de subir.
Há cada vez mais utilizadores frequentes.

Em abril deste ano, o tarifário de transportes na Área Metropolitana de Lisboa sofreu uma revolução sem precedentes: num investimento do governo e das autarquias para incentivar o uso dos transportes públicos, os passes foram agregados por pacotes mais baratos, e ficou a expetativa de ver se as pessoas iriam aderir em massa, tal como era esperado pelo Governo.

Agora, sabe-se que essa adesão aconteceu mesmo. Segundo noticia a “TSF” esta segunda-feira, 18 de setembro, a procura por passes duplicou na área metropolitana de Lisboa, desde que os novos preços entraram em vigor.

A rádio adianta que, de acordo com os dados da Área Metropolitana de Lisboa, desde abril o número de utilizadores não tem parado de subir e que, em maio, junho e julho, o número de utentes que pediram o Lisboa Viva duplicou face ao mesmo período de 2018. Com as férias, agosto registou uma ligeira queda mas ainda assim a procura foi 98 por cento superior à do período homólogo.

O mesmo meio adianta ainda que o passe família, à venda desde o final de julho, já chegou a um quinto das 21 mil famílias que se calcula que possam beneficiar dos preços mais baixos.

Neste momento, e desde a entrada em vigor dos novos preçários, 30€ (Navegante Municipal, para um concelho dos 18 abrangidos) ou 40€ (Navegante Metropolitano, para todos os concelhos da área metropolitana) é o máximo que paga para se deslocar na região de Lisboa. Seja qual for o número e o tipo de transportes que utiliza.

A revolução no tarifário permite refletir-se em poupanças, não só reais para milhares de passageiros, como em alguns casos extremamente significativas. Para quem reside em Lisboa, por exemplo, os passes para a Carris e o Metro custavam 36,70€ por mês. Com o novo passe Navegante Municipal, passaram a ser 30€ por mês. A conta anual é assim reduzida dos 440€ para os 360€ por ano, numa poupança líquida de 80€ anuais.

Um passe da Fertagus entre Setúbal e Lisboa, incluindo Metro e Carris, custava 161,15€ por mês, ou 1933,80€ por ano. Com o novo passe, o valor a pagar cai para os 40€ mensais, o que quer dizer que paga, num ano, 480€ pelos transportes. As poupanças atingem os 1453€ nesse ano.

Para quem se desloca do Barreiro para Lisboa, os passes anteriores custavam 62€ e descem para 40€. Aqui, as poupanças anuais atingem os 264€.

Existe, ainda, o Navegante Metropolitano +65, destinado a maiores de 65 anos, reformados e pensionistas, que poderão usar todos os transportes públicos na AML por 20€ por mês.

Os miúdos até aos 12 anos não pagam mas precisam de um cartão, o Navegante 12. Este é válido também para toda a área metropolitana (até agora, as crianças só viajavam gratuitamente dentro do concelho de Lisboa). 

Os carregamentos dos novos títulos continuaram a ser feitos nos balcões e máquinas dos operadores, assim como em caixas multibanco.