NiTfm live

na cidade

Passe de famílias em Lisboa já não arranca em abril — só em julho

Já são também conhecidos todos os detalhes sobre o passe único que está quase a chegar.
Novos passes estão a chegar.

É uma das maiores revoluções de sempre nos transportes das maiores áreas metropolitanas do País e está quase a chegar: a partir de 1 de abril, entra em vigor o passe único que vai abranger as regiões de Lisboa e do Porto. Isto quer dizer que os cidadãos passam a pagar um máximo de 30€ por mês para viagens em todos os transportes dentro do concelho e 40€ se se deslocam entre municípios. Mas há uma parte, a do passe familiar, que está atrasada e ainda vai demorar.

Uma das novidades que chega com o passe único, e que foi prometida com ela, é a da união de um agregado familiar num único passe, levando a que uma família nunca pague mais do que dois títulos: dois de 30€, num máximo de 60€, para deslocações só na cidade de Lisboa e do Porto; ou dois de 40€, num máximo de 80€, para deslocações em todos os transportes em vários concelhos. Contudo, até julho vai ter de os comprar de forma individual.

Ao “DN“, o primeiro-secretário Metropolitano, Carlos Humberto, já tinha explicado que o passe família era a situação mais difícil “do ponto de vista técnico” e a informação terá agora sido confirmada pela Área Metropolitana de Lisboa.

No entanto, este é apenas um de muitos detalhes, e são já conhecidos todos os pormenores da tal revolução nos tarifários dos transportes, que chega no próximo dia 1.

Vai poder escolher entre dois passes, o Navegante Municipal de 30€ e o Navegante Metropolitano de 40€, consoante a área que queira utilizar. Ambos são para todos os transportes.

É ainda criado o Navegante Metropolitano +65, destinado a maiores de 65 anos, reformados e pensionistas, que poderão usar todos os transportes públicos em toda a AML por 20€ por mês.

Os miúdos até aos 13 anos não vão pagar para usar os transportes públicos mas precisam de um cartão, o Navegante 12, válido também para toda a área metropolitana. 

Segundo a nota da AML citada pelo jornal, a partir do primeiro dia de abril vão assim passar a existir 19 novos passes: o metropolitano e 18 municipais (um para cada município) e todos vão ter validade mensal, deixando de existir os chamados passes deslizantes, que não começam no primeiro dia do mês.