back in town

Estes palácios e palacetes estão abertos ao público — alguns são grátis

Há edifícios em Lisboa que resistiram ao terramoto de 1755, outros foram construídos para que os reis tivessem onde morar depois desse dia. 

Parece mesmo um cenário de filme.

Viver como um rei ou rainha num grande palácio é o sonho de muitos miúdos. Quando têm a sorte de conhecer alguns dos palácios mais bonitos do País, ninguém os cala durante semanas. Ele é o Palácio de Mafra, o Palácio da Pena, a Quinta da Regaleira, enfim, sítios onde eles podem sonhar e dar asas à imaginação. 

Ora o que não falta pela cidade de Lisboa são palácios e palacetes onde pode levar a família e impressionar os miúdos. Grande parte deste espaços manteve a arquitetura de origem, embora alguns tenham sido afetados pelo terramoto de 1755 que destruiu grande parte da capital portuguesa. 

O Palácio Nacional da Ajuda é um desses casos. Foi mandado construir pelo rei D. José I que, embora estivesse em Belém na altura em que o terramoto aconteceu, ficou perturbado com os efeitos do sismo e nunca mais quis morar em espaços construídos em alvenaria. Mandou então construir este edifício no Alto da Ajuda, com uma estrutura em madeira, mais resistente a eventuais terramotos. Hoje em dia, o Palácio tem as suas portas abertas como um museu, e mantém grande parte da arquitetura original, do século XIX. 

Já o Palácio dos Marqueses da Fronteira na zona de São Domingos de Benfica, praticamente não foi afetado pelo sismo. Pelo contrário, depois dessa data o espaço foi melhorado e ampliado e tornou-se a residência oficial dos Marqueses da Fronteira, onde ainda hoje moram os seus últimos descendentes. Os jardins estão sempre abertos, já o Palácio em si só pode ser visitado aos sábados de manhã. 

Carregue na imagem para conhecer alguns dos palácios e palacetes que pode visitar na cidade de Lisboa.