Back in Town

Oeiras, Sintra e Amadora vão estar ligados por corredor verde

As obras deverão avançar até ao final do ano. Tratam-se de mais de 15 quilómetros verdes, com corredor pedonal e ciclovia.

As margens do Rio Jamor também vão ser intervencionadas

O Eixo Verde e Azul estava em lista de espera desde julho de 2016. Agora parece que temos fumo branco — ou fumo verde, se preferir: as autarquias de Oeiras, Sintra e Amadora e a Parques de Sintra estão a chegar a um consenso quanto ao projeto de construção deste eixo, segundo avança o jornal “Público” esta quinta-feira, 1 de junho. 

E isto é bom? É espetacular. Estes 15 quilómetros de percursos vão resultar na recuperação de 50 hectares e na criação de cem hectares de espaços verdes ao longo da ribeira de Carenque e do rio Jamor. Nas diferentes autarquias envolvidas no projeto vão existir obras complementares à finalização do Eixo Verde e Azul. A zona do Palácio Nacional de Queluz também vai ser reabilitada para passar a ter zonas pedonais e cicláveis. 

O investimento vai ser de 11,3 milhões de euros, dividido entre as quatro entidades. Além desta intervenção, o estacionamento e o pavimento de Palácio Nacional de Queluz também vai ser remodelado, numa intervenção que vai custar 3,9 milhões de euros.

A secção de Oeiras deverá ter as obras concluídas no primeiro semestre de 2018, disse ao “Público” a autarquia. Quanto à Amadora, as obras serão mais pequenas e estão apenas à espera da autorização de demolição de um muro que é propriedade do exército. Depois da demolição do muro vai ser construído um parque de estacionamento, criar um corredor que ligue a Sintra e aumentar a arborização. O objetivo é que a obra esteja completa este ano.

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo