NiTfm live

na cidade

O Carnaval de Torres Vedras deste ano é o mais ecológico de sempre

Garrafas de vidro e plástico estão proibidas. Os participantes também podem ajudar a recolher plástico em troca de brindes.
O Carnaval mais português.

Ao longo de seis dias, Torres Vedras é uma cidade-festa. Todos os anos, por altura do Carnaval, milhares de foliões rumam à cidade para celebrar a data, num evento com décadas de tradição. E com a festa e os foliões, chegam máscaras, papéis, carros alegóricos, desfiles, adereços, brindes, comidas e bebidas.

É por isso que o Carnaval “mais português de Portugal” — cujo tema em 2019 é precisamente “Made in Portugal” — tem aumentado, de ano para ano, as suas preocupações ambientais e o cuidado com a pegada ecológica que deixa. Este ano, entre as medidas que já têm vindo a ser testadas nas últimas edições e algumas novidades, o Carnaval de Torres promete ser o mais eco de sempre.

A festa vai chegar a Torres Vedras no próximo dia 1 de março, sexta-feira, e só parte na quarta-feira, 6 de março. A diversão é a preocupação principal da organização, mas não é a única: a sustentabilidade ambiental também tem sido uma constante.

Conforme explica à NiT, no ano em que o tema “Made in Portugal” serve de inspiração para os foliões, os grupos de mascarados, os construtores de carros alegóricos e o Monumento ao Carnaval, a Câmara Municipal de Torres Vedras assume o compromisso de reduzir o impacto ambiental resultante da realização do evento, através da participação na iniciativa Eco Evento Valorsul.

Este programa, feito com a Valorsul, traz formação e apoio à gestão de resíduos, atribuindo ao evento um carácter de sustentabilidade e oferecendo uma contrapartida financeira, de acordo com a quantidade de resíduos recolhidos seletivamente durante os seis dias. Depois de, nas últimas duas edições, ter recolhido e enviado para reciclagem cerca de 20 toneladas de resíduos, este ano a compensação monetária será doada à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Torres Vedras.

A festa está quase a chegar.

A preocupação da autarquia começou a ganhar forma em 2013, quando, através do tema “Reciclagem”, o evento apelava ao sentido de responsabilidade ambiental dos foliões enquanto assumia uma aposta na reciclagem dos resíduos produzidos.

Complementando o trabalho que já estava a ser desenvolvido, em 2017 Carnaval de Torres Vedras passou a assumir-se como um Eco Evento — sendo, por isso, este o terceiro ano seguido em que se compromete oficialmente em reduzir o seu impacto ambiental. 

E há mais medidas neste campo. Em 2019, o Carnaval de Torres Vedras volta a apresentar o EcoCopo: um recipiente de 200 ml que poderá ser reutilizado pelos foliões, reduzindo significativamente a utilização de copos de plástico, uma vez que apresenta um suporte para que seja transportado ao pescoço.

O EcoCopo é vendido na loja de merchandising do Carnaval de Torres Vedras, na loja Torres Vedras e nos bares aderentes. Custa 1€.

Desde 2017 que Torres tem este copo, mas na edição deste ano ainda há mais novidades: a principal passa pela proibição de entrada e transação de garrafas de vidro e plástico. Além de pretender aumentar a segurança dentro do recinto, esta assume-se, ainda, como uma medida que irá permitir a diminuição da utilização destes resíduos, explica a autarquia à NiT.

Além disso, no Carnaval de Torres Vedras 2019 os foliões também vão ter oportunidade de ajudar a torná-lo mais “verde”, participando numa recolha de copos de plástico que terá como oferta brindes oficiais do evento.

A par da separação de resíduos, serão ainda promovidas ações de sensibilização junto do comércio local, nomeadamente cafés, bares e restaurantes.

A festa vai começar

Salvaguardadas as questões ambientais, resta conhecer a festa. O  Carnaval arranca a 1 de março, com o já habitual corso escolar, em que milhares de crianças e jovens desfilam nas ruas do centro da cidade. 

A chegada e entronização dos Reis, os concursos de grupos de mascarados, o Baile de Máscaras Tradição e os corsos diurnos de domingo e terça-feira são alguns dos momentos que dão forma ao programa do Carnaval, que termina na quarta-feira de cinzas com a “morte” do Rei e o enterro do Entrudo.

Não vão faltar os desfiles.

Além da criatividade e originalidade dos mascarados, participantes e visitantes do Carnaval torriense podem contar com as famosas matrafonas, ou homens mascarados de mulher e a sátira político-social inerente aos carros alegóricos e aos próprios mascarados.

A edição será ainda marcada por um novo rei: é a primeira do reinado de Fernando Martins. Membro da banda de música O.S.G.A. desde 1991, o torriense substitui Ricardo Miranda Santos, que ao fim de 12 anos abdicou do trono. Fernando Martins prepara-se para dar início ao seu reinado ao lado da rainha que, como manda a tradição, também é um homem da terra: Ricardo Rodrigues, no trono desde 2017.