NiTfm live

Back in Town

Não há bicicletas partilhadas para o Beato e Marvila

O projeto que pretende colocar mais de 1.400 a circular na cidade vai ficar de fora das duas freguesias numa fase inicial do projeto.

1.410 bicicletas, 140 estações em Lisboa mas nenhuma para o Beato e Marvila. Pelo menos para já. O projeto que prevê a criação de uma rede de bicicletas partilhadas na cidade foi anunciado em setembro do ano passado, altura em que a empresa portuguesa Órbita ganhou o concurso público. Em março, a Empresa de Mobilidade e Estacionamento do Município de Lisboa (EMEL), responsável pela gestão do projeto, começou com a fase de testes.

O sistema de bike sharing deverá começar oficialmente no início do verão. Segundo “O Corvo“, numa primeira fase está prevista uma concentração de bicicletas no eixo compreendido entre a Baixa e o Parque das Nações. 

Mas nada para Beato ou para Marvila. A junta de freguesia do Beato já veio demonstrar o seu descontentamento pela decisão, lamentando “o facto de não ter sido prevista qualquer estação na zona Oriental de Lisboa.” 

Se a freguesia do Beato fez questão de demonstrar o seu descontentamento, Marvila mostra-se um pouco mais cética em relação ao projeto: “(…) não tivemos mais nenhuma informação ou recebemos qualquer proposta por parte da EMEL. Veríamos com bons olhos uma ou duas estações na zona baixa da freguesia”, explicou o vogal Vítor Simões à mesma publicação.

“A instalação de uma estação junto ao Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) parece uma boa ideia, mas, na prática, teríamos que ver quantos a utilizariam, sobretudo nos dias de chuva. Talvez se justificasse mais numa perspectiva turística, na zona plana, junto ao rio, e depois pudesse evoluir para uma utilização mais generalizada.”

Contactada pelo “O Corvo”, a Câmara Municipal de Lisboa explicou que a ausência do Beato e de Marvila numa fase inicial deste projeto se deve “a critérios de prioridade”. Numa fase posterior, serão acrescentadas as “freguesias com apetência natural para a utilização da bicicleta”.

A rede de bicicletas partilhadas resulta de um investimento de 23 milhões de euros. Cada bicicleta vai ter um custo de 16,312€ (devido ao desgaste e à substituição), sendo que vêm equipadas com um cesto na parte da frente e sistemas de localização. As elétricas pesam 24 quilos e as normais 18 a 19 quilos. Quanto aos preços, o bilhete diário deverá custar 10€.