NiTfm live

Na cidade

Miradouro da Igreja do Castelo de São Jorge recebe festa inédita

O miradouro de Lisboa vai celebrar o primeiro aniversário com música, exposições e espetáculos multimédia.
Castelo de São Jorge.

A 7 de junho do ano passado, a cidade de Lisboa ganhou um novo miradouro, com a abertura da Torre da Igreja do Castelo de São Jorge, bem como a própria igreja.  Desde a reabertura, mais de 120 mil pessoas visitaram o miradouro com uma das melhores vistas panorâmicas sobre a história de Lisboa. A torre vai celebrar o primeiro aniversário com vários eventos e atividades num dia de festa.

No Coro alto da Igreja, vai existir uma exposição com fotografias inéditas que mostram como era o Bairro do Castelo no mundo a preto e branco. Esta exposição tem o apoio da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, estará patente até dia 30 de setembro e promete mostrar aos milhares de visitantes que ainda “Há vida no Bairro do Castelo”.

Já na Torre da Igreja do Castelo, no dia 7 de junho, às 11 horas, poderá assistir na sala de multimédia a um espetáculo imersivo que reproduz o dia em que os cruzados chegaram a Lisboa. Ou poderá sentir o terramoto que ocorreu em Portugal, a 1 de novembro de 1755. Os bilhetes para a subida à torre (Visita Torre + Exposição + Sala Multimédia) vão custar 3,50€.

Para animar as celebrações, a banda portuguesa Figo Maduro, que combina diversos estilos musicais como o clássico, religioso, pop e tradicional, atua na igreja de Santa Cruz, no dia 8 de junho, às 16 horas — o bilhete custa 5€.

A torre e o miradouro ficam em plena muralha do Castelo de São Jorge, por isso, têm uma vista única e desafogada sobre São Vicente de Fora, Alfama, Graça, Senhora do Monte, o Mar da Palha, torres de Picoas e a até a serra de Sintra. 

O projeto foi da inteira responsabilidade do padre Edgar Clara, o mesmo que lançou as obras na Igreja de São Cristóvão. Desde 2015 que o pároco planeava abrir a torre como miradouro e usar a receita de bilheteira para manter as portas da igreja sempre abertas e para futuros trabalhos de restauro.

A entrada é feita pela antiga capela mortuária, que passou a ser uma loja de souvenirs e bilheteira. Depois, passa por corredores com murais antigos e uma longa escadaria. Em cima, há sinos de bronze do século XVIII, que tocam agora todos os dias, ao meio-dia.

Os bilhetes para a subida à torre custam 3,5€ e as visitas guiadas custam 5€.