NiTfm live

Na cidade

A mercearia que faz entregas durante a noite chega ao Porto, Cascais e Oeiras

Pode pedir vinho, vodka, cerveja — ou fraldas, toalhitas, pizzas congeladas, chá. Sempre entre as 21 horas e as quatro da manhã.
Pode pedir pelo pc ou smartphone.

É uma das melhores ideias dos últimos tempos: uma empresa que faz entregas em casa durante a noite, de produtos que tanto oscilam entre o azeite que acaba mesmo quando vai fazer o jantar, a cerveja que se esgota mal o encontro de amigos começou ou as fraldas que pareciam muitas mas não resistiram a um início de serão caótico.

Na corrida do dia a dia, no casa-trabalho sem parar, idas ao supermercado que levam todos os tostões porém nunca colmatam tudo o que falta, nasceu no ano passado uma startup portuguesa que pretendeu ajudar as famílias: a Nightshift

A empresa nacional leva produtos de mercearia às casas dos clientes todos os dias durante a noite em menos de 30 minutos; e faz agora um ano de vida com um balanço extremamente positivo — e várias novidades.

Segundo adiantou fonte da empresa à NiT, os números alcançados no primeiro ano mostram que o desafio superou as expectativas, com cerca de quatro mil entregas, mais de dois mil clientes registados e a venda de quase 20.000 produtos.

A empresa diz ainda ter clientes que já fizeram mais de 50 encomendas e uma avaliação de cinco estrelas no Google.

Mais zonas à vista

O serviço de entregas começou em Lisboa mas a mercearia em casa quer crescer: vai renovar e adaptar os produtos, expandir geograficamente e melhorar a loja online. Sobre a expansão, a empresa garante que até ao final deste ano estará em Miraflores e Algés, Oeiras. “No próximo ano queremos apostar bastante nos concelhos de Oeiras e Cascais, e quem sabe se até ao final do 2020 não chegaremos ao Porto”, diz fonte da Nightshift à NiT.

É um objetivo que temos desde o início, validado pelas dezenas mensagens que recebemos por semana de notivagos da região do Porto, mas queremos garantir que a nossa taxa de satisfação se mantém e que continuemos a ter um crescimento sustentado”, adianta.

A nova aposta será também nos produtos frescos, nomeadamente frutas e leguminosas. “É um desejo que temos desde o princípio porque uma mercearia sem esses produtos não é uma mercearia, no entanto, há diversas barreiras nomeadamente conservação e transporte que são mais difíceis de ultrapassar, mas acreditamos que muito brevemente poderemos ter pelo menos alguns produtos dessas categorias”, adianta a empresa.

Para além de frescos, a startup quer apostar mais nos produtos saudáveis: “um desejo noturno não tem que ser sempre chocolates, batatas ou gelados, e portanto, vamos investir nesse segmento”.

A empresa frisa que adiciona todos os meses novos produtos, “por exemplo a semana passada foram adicionados uma nova manteiga de amendoim, gelados, uma nova marca de chocolate, entre outros”. Há ainda novas parecerias em vista, como com hostels da capital.

Tudo começou num jantar onde o vinho acabou

A ideia apareceu num jantar entre amigos no final de 2017. Todos queriam beber mais um copo de vinho, mas já estava tudo fechado, à exceção de um serviço de entregas de bebidas ao domicílio extremamente caro. Entre a sobremesa e a conversa apetecia mais um copo, mas já passava das 22 horas e a vontade de prolongar o encontro não valia o esforço de sair de casa para o frio.

Passado cerca de um mês, os amigos juntaram-se de novo e apenas com capitais próprios montaram a empresa que vai para o mercado no dia 1 de outubro. Mais do que bebidas, acreditam “que toda a gente já precisou de algum produto fora de horas”, conta o seu proprietário.

Miguel Sena, um dos fundadores, trabalhou em várias empresas, sempre em departamentos de marketing, que é a sua área de formação. O sócio, Bernardo Uva, é formado em educação física, mas tem uma vasta experiência na área de logística e eventos. “Acho que fazemos uma boa dupla”, explicam.

No estrangeiro já existem serviços deste género, como a GoPuff, que é a mais popular nos Estados Unidos. Em Portugal, ainda é uma novidade. Os fundadores da mercearia do turno da noite acreditam que há mercado.

“Ouvimos muitas pessoas de idades e perfis diferentes e a reação é sempre igual: ‘que jeito que isso me teria dado no dia x ou y’”, conta Miguel Sena.

“Pessoalmente já senti diversas vezes falta de poder encomendar coisas que não seja comida preparada. Sabemos que umas fraldas podem salvar a noite a uma mãe, pipocas e gelados podem contribuir para uma sessão de cinema mais completa, ou que simplesmente alguém se esqueceu de comprar os ovos, o azeite, o patê, as batatas ou o pão lá para casa”.

Horários, zonas, preços, produtos e pagamentos

A Night Shift está aberta de segunda a quarta, das 21 horas às 2 da manhã; e de quinta a sábado, das 21 horas às 4 da manhã.

Online e em stock, há cerca de 500 produtos divididos por categorias. A empresa pretende ir sempre aumentando e ajustando a oferta. Como exemplo, os clientes podem encomendar papas para bebés, comida para animais, produtos para cozinhar e para o lar, enlatados, chocolates, bolachas, congelados, sumos, vinhos, bebidas espirituosas, cerveja ou cidras.

Quanto aos preços, mais de metade dos produtos têm preços semelhantes aos das cadeias de supermercados. E são mais baratos do que em algumas mercearias. A taxa de entrega é dinâmica e começa nos 1,80€. No máximo, os clientes pagarão 6€ — a média é de 3€. Para encomendas com um valor superior a 25€, não há taxa de entrega.

O pagamento é feito por Multibanco, PayPal, MBway ou Visa, Mastercard, tudo online.