NiTfm live

Na cidade

Maia estreia o túnel de vento onde pode fazer queda livre — dos 4 aos 99 anos

Pode desafiar a gravidade e ter uma experiência de voo radical que simula um salto de 4000 metros de altura.
Isto promete.

A Dreamfly chegou ao Grande Porto em novembro mas o evento oficial de inauguração é este sábado, 14 de dezembro. Isto quer dizer que é neste fim de semana que pode experimentar a sensação de voar, de fazer queda livre e de sentir a adrenalina de um túnel onde o vento chega a atingir os 300 quilómetros por hora.

A empresa explica à NiT que a nova atração, situada no Auchan Maia, tem o lançamento oficial entre as 12 e as 21 horas de dia 14, num evento com espetáculos e experimentações do túnel. Os mais aventureiros podem testar um voo no túnel logo nesse dia, tendo para isso inscrições, limitadas, no site da DreamFly.

No espaço, que passa agora a estar aberto o ano todo, vai poder saber como é fazer queda livre, num túnel vertical de 11 metros de altura e três de diâmetro, onde o vento atinge os 300km/h. A experiência de voo radical simula um salto de 4000 metros de altura.

Os miúdos também se podem inscrever (a partir dos quatro anos) e, para além da atração principal, no dia da inauguração haverá ainda a visita do Pai Natal e pinturas faciais. 

Para os restantes dias do ano (com excepção de alguns feriados) as reservas podem ser feitas com antecedência no site da DreamFly e também no local. Os preços vão dos 44€ aos 54€ por pessoa — a experiência tem a duração total de uma hora e equivale a dois voos em skydiving. Um voo em família, para até cinco pessoas, custa 225€. Aqui são incluídos dez voos, dois por cada pessoa, mas cada um usufrui da experiência separadamente.

Segundo adianta a empresa à NiT, o projeto foi pensado por Matt Hill, Maura Rosqvist e Tiago Matos, três profissionais de Indoor Skydiving com várias horas de experiência de voo em túneis de todo o mundo.

“Já existem cerca de 184 túneis de vento ativos em mais de 40 países em todo o mundo, 30 em construção e 70 anunciados para os próximo tempos. Portugal tinha que estar no mapa dos túneis de vento por se tratar já de um destino turístico para entusiastas de desportos radicais.” explica Matt.

No fundo a experiência é ideal para curiosos e para aqueles que ainda não estão convencidos a saltarem de um avião, podendo preparar-se para este momento e aprender o básico do bodyflying no túnel de vento que é um dos maiores da Europa. “Voar num túnel de vento permite-nos experienciar o paraquedismo e a queda livre sem os perigos de saltar de um avião”, adianta a empresa.

A sensação é, garantem, a mesma: “o túnel de vento é composto por motores e o vento proveniente de baixo forma uma densa coluna de ar dentro do tubo de vidro, o que torna possível voar em qualquer posição. A velocidade do vento é ajustada ao tamanho da pessoa no voo, tornando o túnel de vento o local perfeito para experienciar a queda livre e praticar o bodyflying”, refere ainda o site.

Segundo a organização, um minuto de voo é equivalente à tal descida de uma altitude de quatro quilómetros. Para usufruir da atração não é preciso ter qualquer experiência prévia e também por isso a atividade pode ser praticada por crianças a partir de quatro anos.

Aqui a ideia é mesmo aprender os básicos para se conseguir voar sozinho de forma segura. Depois pode-se evoluir para várias disciplinas mais técnicas e complexas até se atingir o nível profissional e ser-se capaz das mais arriscadas acrobacias.

Mesmo para quem não ousa testar os limites da gravidade, a câmara de voo é parcialmente construída em vidro, o que permite um espetáculo invulgar para quem assiste.

Os três fundadores garantem que não vão ficar por aqui e já estão a estudar outras localizações. Só no primeiro ano de atividade contam atrair 20 mil pessoas. A DreamFly quer para já chegar à Grande Lisboa, mais especificamente a Rio Mouro (Sintra) já no primeiro semestre de 2020, segundo avançou recentemente o “Público“. Na página da empresa até já surge o contacto de um túnel no Alegro Sintra.