Back in Town

Lisboa e Porto: estão a transformar casas grandes em T0 e T1 para turistas

Quem fica a perder, claro, são as famílias que procuram arrendamentos de longa duração.

Qualquer dia não conhece nenhum dos seus vizinhos.

Lisboa e Porto estão na moda. Todos os dias chegam enchentes de turistas que escolhem o nosso País para férias. Vêm de toda a parte e procuram todos o mesmo: casas de arrendamento de curta duração.

Quem fica a ganhar são os arrendatários e donos de prédios, que têm aproveitado este boom turístico para reabilitar casas grandes e transformá-las em T0 e T1, as tipologias mais apetecíveis para os estrangeiros. 

Segundo a notícia avançada esta terça-feira, 14 de novembro, pelo Público, esta mudança “parece adequar-se pouco ao regresso das famílias aos centros das cidades. E os que aí procuram habitação permanente esbarram com grandes dificuldades”.

De acordo com a mesma publicação, a estratégia do Governo para os próximos tempos é promover “a reabilitação do edificado e a dinamização do mercado de arrendamento para fins habitacionais permanentes nos centros urbanos”. 

Contudo, não é isso que tem acontecido. As famílias têm cada vez mais dificuldades em encontrar uma casa para arrendamento de longa duração, pois existem apartamentos T1 a custar, por exemplo, 2.200€ por mês em Alfama, Lisboa.

Recorde o artigo da NiT que fala de um dono de casas em Lisboa que faturou 2,9 milhões de euros num ano com o Airbnb.

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo