NiTfm live

na cidade

Lime: as scooters elétricas mais populares do mundo estão a chegar a Lisboa

Num ano, a empresa passou de um para 70 locais e um total de seis milhões de viagens. Vai chegar a Lisboa com quase 400 e-scooters e 90 pontos de recolha.

Lisboa vai ser invadida.

Elas estão a chegar e vão andar por Lisboa. A empresa norte-americana de scooters elétricas Lime viu em Portugal um país estratégico na sua expansão europeia, e em Lisboa uma cidade perfeita para testar a sua solução de mobilidade. No início do mês de outubro (a data exata está ainda por confirmar), vai começar a ver centenas de trotinetes elétricas por aí.

Noa Khamallah, diretor de relações institucionais na Europa da Lime, explicou à NiT porque é que Lisboa foi um objetivo para a empresa. “É uma ótima cidade para implementar soluções inteligentes de mobilidade, visto ser uma das mais internacionais, diversificadas e atrativas na Europa. E estar a mudar, rapidamente”.

O crescimento da população da capital e do número de turistas justificava a implementação de formas alternativas de mobilidade dentro da cidade, acredita este responsável.

Antes de vir para Portugal, a Lime fez uma verdadeira radiografia à cidade. Conclusões: “Lisboa é uma cidade densa com muito tráfego, especialmente no centro, registando diariamente a entrada de mais de 370.000 carros, e os seus habitantes estão muito conscientes disso”, explica Noa Khamallah,

As scooters elétricas são o futuro, acredita a Lime. Sustentáveis e mais saudáveis, ao usá-las, as pessoas têm mais flexibilidade, podendo evitar engarrafamentos, percorrer a cidade mais rapidamente e interagir com o ambiente urbano de forma diferente.

A Lime chegou à capital em colaboração com a Câmara de Lisboa, para trabalhar em conjunto em medidas sustentáveis de interagir com a cidade: “Sentimo-nos honrados por termos sido convidados pela autarquia para criar uma oferta de e-scooters em Lisboa”.

Embora as Lime-S sejam, no fundo, trotinetes elétricas, a geografia da cidade não preocupa a empresa: as scooters têm bastante potência para serem usadas no centro da cidade e por pessoas com diferentes pesos. 

Carregadas pela empresa, de noite

As e-scooters vão ser distribuídas todos os dias antes das 9 horas e recolhidas depois das 21 horas, para serem recarregadas durante a noite. Na fase de lançamento, haverá 200 a 400 e-scooters disponíveis em Lisboa, mas o número é para aumentar, mediante a resposta e as necessidades da cidade.

Segundo a Lime, irão existir 90 hotspots em diferentes zonas da cidade, com e-scooters disponíveis todos os dias.

Para usar as e-scooters, os utilizadores têm de primeiro descarregar a aplicação para dispositivos móveis (disponível para iOS e Android). Após o registo e a apresentação de tutoriais sobre como usar as e-scooters, os utilizadores poderão desbloqueá-la, usando o código QR apresentado. A Lime-S custa 1€ para desbloquear a e-scooter, e 0,15€ por minuto de utilização. Através da aplicação também é possível consultar o estado da bateria. Quando o utilizador desejar parar e estacionar, terá de tirar uma foto da e-scooter através da aplicação, de forma a dar a viagem como terminada.

As S-Lime.

A empresa norte-americana é de tal forma um sucesso em todo o mundo que parece impossível acreditar que nasceu há pouco mais de um ano. Foi lançada em junho de 2017, em Greensboro, Carolina do Norte, pela Andreessen Horowitz, de Silicon Valley. A sede fica em San Mateo, Califórnia.

A ideia original foi a de que todas as comunidades “merecem uma mobilidade inteligente, prática e acessível”, conta-nos o porta-voz.

Em apenas 12 meses, tornaram-se líderes no movimento de mobilidade inteligente nos Estados Unidos e chegaram a mais de 70 mercados. “Até agora, registámos três milhões de utilizadores e seis milhões de viagens concluídas”, acrescenta.

A Lime chegou à Europa em dezembro de 2017, no âmbito das celebrações de um milhão de viagens. Foi a primeira empresa a introduzir a scooter elétrica.

“Estamos agora presentes em Madrid, Valência, Paris e Berlim, Zurique, Frankfurt e, mais recentemente, em Lisboa”.

No momento, estão focados no lançamento da capital, mas pretendem estabelecer contacto com as câmaras municipais de cidades portuguesas para avaliar a possível entrada esses espaços, como Porto, Braga, Aveiro e Sintra.

Recentemente, a Uber fez um investimento significativo na Lime, tornando-se um parceiro estratégico. Ainda assim, em Lisboa, a empresa vai operar de forma independente. O funcionamento na cidade deverá começar nos próximos dias.