NiTfm live

Na cidade

Google divulga movimentos dos portugueses para travar coronavírus

São relatórios que permitem às autoridades de cada país terem informação relevante para tomarem decisões.
São dados globais e não individuais.

Em Portugal, no mês de março houve uma redução de 59 cento nas idas à farmácia. Nos parques e jardins públicos, a queda é de 80 por cento. Nas estações de transportes, é de 79 por cento. As deslocações para locais de trabalho diminuíram 53 por cento. Já o mercado do retalho e recriação (restaurantes, centros comerciais, museus, cinemas) teve uma descida de 83 por cento.

Todos estes números são dados compilados pela Google, empresa que está a divulgar as tendências de movimentos em cada país e a partilhar estas informações com o público e as autoridades nacionais para que possam ser tomadas decisões tendo em conta aquilo que se sabe sobre os novos hábitos dos cidadãos neste período de isolamento social.

A Google está a usar os serviços de geolocalização de cada utilizador (só dos que têm esta opção ligada no respetivo telemóvel) para identificar tendências de comportamento, sem nunca estar em causa a privacidade de cada pessoa, porque os dados são sempre apresentados de forma global e não individualmente.

Os primeiros relatórios de mobilidade comunitária, feitos em 131 países, foram publicados esta sexta-feira, 3 de abril. O português é um dos que se encontram disponíveis online. Há dados por cada distrito nacional. No entanto, não é especificado, por exemplo, quais foram os supermercados ou farmácias mais visitados. A margem de erro estimada será de cerca de cinco por cento.

A Google diz ainda que está a colaborar com uma equipa de epidemiologistas numa base de dados anónima para traçar melhor a evolução da pandemia da Covid-19. Em todo o mundo já foram confirmados mais de um milhão de casos positivos e há atualmente mais de 53 mil vítimas mortais.