NiTfm live

Na cidade

Esgoto a céu aberto em Monsanto resultou de um erro da Câmara de Lisboa

Autarquia tinha falado em ruptura num colector público, mas assumiu esta quinta-feira que se tratou de uma falha de ligação das condutas de esgotos do Iminente à rede de águas pluviais.
Um acidente, admite a autarquia.

A polémica surgiu na manhã desta segunda-feira, 23 de setembro. Depois de um fim de semana de música e arte em Monsanto, no âmbito da segunda edição do Festival Iminente, um ciclista dava, no domingo, o alerta no Facebook: algumas zonas do Parque Florestal de Lisboa pareciam um esgoto a céu aberto. A razão seria o Festival que aconteceu no Panorâmico de Monsanto, entre os dias 19 e 22. 

O vídeo partilhado pelo atleta Frederico Nunes tornou-se viral e os comentários das publicações do Iminente nas redes sociais encheram-se de críticas, levando a reações da Câmara Municipal de Lisboa — que co-produz o evento com a galeria de arte urbana Underdogs —, e do próprio festival. A autarquia explicou a situação num comunicado, alegando que problema tinha estado uma rutura de um coletor público e não estava relacionado com as casas de banho do evento; já o Iminente remeteu sobretudo para as explicações da CML.

Agora, sabe-se que afinal não foi a ruptura num colector público a provocar as descargas de resíduos sobre o parque florestal; mas sim um erro de ligação das condutas de esgotos do Iminente à rede de águas pluviais.

Esta quarta-feira, 25 de setembro, em reunião de autarquia, o presidente Fernando Medina esteve presente e, segundo o “Público“, assumiu por várias vezes o erro, descartando responsabilidades do Festival. Citando o autarca, o jornal explica que a razão do acidente foi afinal o facto de a conduta de esgotos não ter sido ligada à conduta de saneamento como deveria ser, mas sim a uma conduta de águas pluviais.

Medina admitiu que erro “não pode ser imputável ao promotor” e que a responsabilidade era do município. “Tratou-se obviamente de um acidente que não deveria ter acontecido”, frisou.

O “Público” adianta que, na reunião pública, o vereador do PSD João Pedro Costa mostrou plantas que mostram que o município autorizou a organização do Iminente a ligar as condutas de esgotos de casas de banho e cozinhas a uma caixa destinada a receber água da chuva. Na opinião deste vereador, os elementos do festival não sabiam do erro que estavam a cometer e da câmara houve “descoordenação” entre vários pelouros.

A NiT esteve no local à hora de almoço desta segunda-feira e encontrou o tal esgoto a céu aberto. Carregue na galeria se quiser perceber o estado em que ficou Monsanto.