NiTfm live

na cidade

Há mais uma empresa de trotinetes em Lisboa a partir desta segunda-feira

Bird é a nona empresa a entrar na capital em menos de um ano. Mas vem com várias novidades.
Vêm da Califórnia.

E são nove. A capital portuguesa recebe esta segunda-feira, 1 de abril, a nona empresa de partilha de trotinetes elétricas. A norte-americana Bird chega a Lisboa com o objetivo de ajudar a cidade a atingir a sua meta de reduzir o congestionamento de tráfego, bem como as emissões de carbono.

A partir de agora, todos os dias entre as 7 e as 21 horas, os residentes e visitantes de Lisboa com mais de 18 anos poderão encontrar uma trotinete, através da aplicação Bird, para se deslocarem.

Em poucos anos, a cidade recebeu dezenas de quilómetros em ciclovias e em poucos meses recebeu as trotinetes Lime, Bungo, Hive, Iomo, Voi, Tier, Flash, Wind e agora Bird.

“Queremos que a Bird seja a alternativa de transporte para os cidadãos de Lisboa que querem deslocar-se na cidade de uma forma sustentável e responsável”, explica Patrick Studener, vice-presidente da Bird.

“Como uma empresa focada na mobilidade sustentável, estamos orgulhosos de chegar a uma cidade que partilha os mesmos valores que nós”, adianta.

A empresa diz que funciona de forma sustentada, juntando mais trotinetes à frota apenas quando há procura suficiente. Desta forma, as trotinetes estão a ser utilizadas e não são deixadas paradas nas ruas por muito tempo. Além disso, elas são recolhidas todas as noites para garantir que a cidade permaneça limpa. Isto não só permite que as trotinetes sejam carregadas, mas também que a Bird faça a reparação e manutenção de todos os veículos.

O programa “Bird Watcher” controlará a localização e o estado das trotinetes disponíveis na cidade para rastreá-las em tempo real durante o dia, reposicionando-as se estiverem mal estacionadas.

Os preços são idênticos à das outras operadoras já em Lisboa, utilizando a aplicação para desbloquear o veículo com o pagamento de 1€ para ativação e 15 cêntimos por cada minuto.