NiTfm live

Na cidade

“National Geographic” diz que Elvas é a “verdadeira estrela do Alentejo”

Na edição online portuguesa, a revista destaca a cidade alentejana como viagem ecológica do mês.
Elvas e as suas fortificações.

Classificada pela UNESCO como Património da Humanidade desde 2012 por ter as maiores e mais singulares fortificações e edificações do mundo, Elvas é, também, a “verdadeira estrela do Alentejo”. É assim que a cidade surge descrita na edição portuguesa online da “National Geographic“, que a escolhe como viagem ecológica do mês de setembro.

Os motivos são depois explicados, num extenso artigo: além de Património da Humanidade, Elvas é a maior cidade fortificada da Europa e foi uma das cidades mais importantes para a independência de Portugal.

Além da sua rica história, que ficou presente e viva nas fortificações classificadas, a cidade perto da fronteira tem também “alguns dos locais mais ímpares” do nosso País e da Europa. 

Como sítios para ver, são destacados os essenciais: a Praça da República, cheia de monumentos, locais de interesse turístico e de lazer, como as esplanadas, a Casa da Cultura, o Posto de Turismo e a Torre do Relógio; e claro o Forte de Nossa Senhora da Graça, um dos mais altos da região e que foi recuperado recentemente. Também é recomendado o Forte de Santa Luzia, um ex-líbris da cidade pela importância arquitetónica militar portuguesa do século XVII e agora um museu militar.

Segundo a publicação, não deve ainda perder o Aqueduto da Amoreira, com oito quilómetros 1367 metros galerias subterrâneas e 843 arcos. É o maior aqueduto da Península Ibérica.

Na sua visita, deverá obviamente passar pelo Castelo e pela Igreja da Nossa Senhora da Assunção, antiga Sé Catedral de Elvas.

Nos últimos anos, sobretudo desde que ganhou a classificação de Património Mundial, Elvas sofreu uma verdadeira invasão turística. Segundo um artigo de 2017 do “DN”, aquando dos cinco anos certos decorridos sobre a classificação, a cidade teve um crescimento no turismo de 300 por cento depois desta ter acontecido.

Todo o centro histórico, as muralhas abaluartadas do século XVII, o Forte de Santa Luzia, o Forte da Graça, o Aqueduto da Amoreira e os fortins de São Pedro, de São Mamede e de São Domingos ou da Piedade foram classificados como Património da Humanidade.

A recuperação do Forte da Graça foi um dos maiores impulsionadores do turismo, sendo este atualmente dos locais mais visitados.

Quem vai de Lisboa de carro, pode chegar a Elvas em cerca de duas horas, pela A2 e A6; e do Porto, faz a viagem por menos de quatro horas. Para dormir tem dezenas de opções mas uma das mais consensuais é o recente Vila Galé Elvas, inaugurado este ano — pode ver as fotos, preços e modo de fazer reservas num artigo da NiT.