NiTfm live

na cidade

Dino Parque vai ter novas atrações — como o maior crocodilo da história

O espaço da Lourinhã celebra o primeiro aniversário esta sexta-feira, dia 8, e tem atividades especiais.
Este dinossauro chama-se Suchomimus

Quando abriu portas, a 8 de fevereiro de 2018, o Dino Parque da Lourinhã trazia grandes promessas. Há mais de duas décadas que se pensava em abrir um parque de dinossauros naquela zona do País. Aliás, desde 2004 que o concelho é conhecido como a Capital dos Dinossauros portuguesa, depois de vários vestígios jurássicos terem sido encontrados na região. O parque no concelho seria um símbolo e um agregador desta riqueza.

Agora, um ano depois da inauguração, o sucesso do parque jurássico superou todas as expetativas, com mais de 350 mil visitantes, quase o dobro do previsto — 200 mil. Durante este período, 10 a 15% dos visitantes foram estrangeiros, sobretudo espanhóis e franceses, e 70 mil vieram integrados em visitas escolares.

Por isso, o espaço anunciou que vai investir um milhão de euros em novas áreas, entre elas um percurso com 30 novos modelos de dinossauros. A atração de visitantes acima do esperado também levou o Dino Parque a duplicar os seus postos de trabalho permanentes — que passaram de 15 para 30.

“O percurso, que vai aumentar em 25% a área do parque e em 30 a 45 minutos a visita, é dedicado aos mares e aos lagos. As pessoas vão poder observar a evolução da vida aquática ao longo de 450 milhões de anos”, adiantou o diretor-geral do Parque, Luís Rocha, à Lusa, citado pelo jornal “Dinheiro Vivo”.

O maior crocodilo da história, o ‘Sarcosuchus’, com 11,5 metros de comprimento, que surgiu no Cretácico, há 113 milhões de anos, e o tubarão ‘Megalodon’, que apareceu no Cenozoico, há 20 milhões de anos, estão entre as novas adições.

O Dino Parque está também a investir na ampliação da área de piquenique e do parque infantil e na criação de uma zona para festas infantis, disponíveis ao público a partir de 1 de março. 

Na Páscoa, vai haver melhorias na sinalética informativa do respetivo museu, para tornar mais atrativa a visita para miúdos e jovens.