na cidade

Conheça os 200 quilómetros de ciclovias que a Câmara quer para Lisboa

A informação foi confirmada à NiT pela mobilidade da autarquia: rede da capital vai crescer dos atuais 80 quilómetros para 200.

200 quilómetros de ciclovia é o que a Câmara de Lisboa tem planeada para a cidade. A rede será construída progressivamente e dará ciclovias a zonas como as ruas próximas do Bairro Alto, Aeroporto, Quinta das Conchas no Lumiar, Alfama e Avenida Almirante Reis.

O mapa com o planeamento já está disponível e é possível visualizar a rede clicável atual mas também a prevista. Com recurso ao Google Maps, a traço longo estão assinaladas as ciclovias já construídas e a tracejado as propostas.

Nas ciclovias propostas podemos então ver que a câmara quer bicicletas em zonas como a Almirante Reis, Avenida General Roçadas, Portas do Sol, a Avenida Lusíada, a Estrada da Luz, a Avenida do Restelo e Avenida Dom Carlos I, Largo do Rato, Vale do Lumiar, Avenida Padre Cruz e muitas outras vias.

A data avançada para a conclusão da rede tem sido de 2020, mas a autarquia não confirmou à NiT essa informação. Confirmou, isso sim, que já estão em construção alguns novos troços como o prolongamento da Av. de Brasília, que permite a ligação da pista ribeirinha a Algés, e a ligação entre a Av. de Berlim e a Quinta Conde d’Arcos, nos Olivais. Recentemente, ficou concluída mais uma pista ciclável no novo Parque da Montanha, junto à Av. Gago Coutinho.

A rede ciclável de Lisboa está a ser idealizada em seis eixos: aquele que parece mais avançado é o da frente ribeirinha, entre Benfica e o Braço de Prata, chamado de Marginal. Há ainda o Eixo Alcântara-Luz, o Eixo Central, o Eixo Circular Exterior, também dos mais avançados, e o Eixo Olivais-Beato.

A rede é constituída por diferentes tipologias consoante o perfil das vias onde se inserem (ciclovias, faixas cicláveis e vias partilhadas “30km/h”). Nestas últimas, há partilha de espaço com os automóveis mas estes não podem circular a mais de 30 quilómetros/hora.

Lisboa, à semelhança de muitas cidades por todo o mundo, tem assistido a um aumento na utilização de bicicleta nas deslocações diárias. Este implica novas vias e também maior atenção de quem circula de carro, pelo que também a Polícia Municipal já se juntou ao patrulhamento de ciclovias e outras estradas, em bicicletas GIRA. 

O sistema de bicicletas de uso partilhado GIRA, da EMEL, tem já, desde o seu lançamento a 19 de setembro de 2017, mais de 106 mil utilizações. Para as próximas semanas prevê-se a abertura de novas estações GIRA em Telheiras, Marquês de Pombal, Av. da Liberdade e Praça do Município.