NiTfm live

Na cidade

CML vai atribuir 100 casas no centro histórico

Concurso é para população mais carente e em risco de perda de habitação, devido às pressões turísticas do centro.

Se mora no centro histórico de Lisboa e se vê pressionado a sair, saiba que não está sozinho/a. São centenas as pessoas que moram no centro da capital mas que se vêm forçadas a sair devido à pressão turística e imobiliária, e a pensar nelas a Câmara de Lisboa acabou de lançar um concurso excecional de atribuição de casas.

Já estão abertas as candidaturas: vão ser atribuídas cerca de 100 casas de património municipal, a residentes nas freguesias de Santa Maria Maior, Santo António, São Vicente e Misericórdia.

Segundo a autarquia à NiT, podem concorrer pessoas que morem numa destas quatro freguesias, e que estejam em situação comprovada de perda de habitação, e também em “situação de rendimentos vulnerável”. Poderão ainda candidatar-se pessoas que tenham sido já despejadas ou saído das suas casas por não renovação de contrato nos últimos 12 meses.

A Câmara explica que vai “utilizar património próprio para esta medida, considerada excecional e transitória”. Tudo por causa da situação que se vive no centro histórico, onde se sentem mais os efeitos da aplicação da lei das rendas e do crescimento turístico. Tudo isto, especialmente nestas zonas, “está a provocar a saída de moradores que ali residem há muitos anos”, salientou a Vereadora do Pelouro da Habitação e Desenvolvimento Local, Paula Marques, quando apresentou a proposta em reunião de Câmara — onde foi aprovada por unanimidade.

As candidaturas podem ser apresentadas nas juntas de freguesia envolvidas e no Centro de Atendimento ao Munícipe, no Campo Grande, até 5 de maio. Mais informação poderá ser obtida no site da Câmara de Lisboa, por Habitarcentrohistorico@nullcm-lisboa.pt, ou pelo telefone 217 989 578, bem como nas juntas de freguesia.