NiTfm live

Na cidade

Cientistas declaram emergência climática e alertam para “sofrimento incalculável”

Numa carta aberta, 11 mil cientistas referem que crise ambiental está a evoluir "mais depressa" do que se esperava.
É um problema grave.

Esta terça-feira, 5 de novembro, 11 mil cientistas de 153 países publicaram uma carta aberta conjunta na revista “BioScience” onde declaram emergência climática na Terra e alertam para o “sofrimento humano incalculável” que daqui vai decorrer se as pessoas não mudarem o seu estilo de vida.

Os cientistas afirmam que as alterações climáticas já chegaram mas que “estão a evoluir mais depressa do que muitos cientistas esperavam”. A carta baseia-se nos dados científicos que foram estabelecidos pela primeira vez na Conferência Mundial do Clima em Genebra, em 1979.

“A crise climática é mais grave do que se antecipava e ameaça ecossistemas naturais e o futuro da humanidade. Para assegurar um futuro sustentável, temos de mudar a forma como vivemos e isso envolve grandes mudanças na forma como a sociedade global funciona e interage com os ecossistemas naturais”, pode-se ler na carta, que apela a uma redução do consumo de carne, das viagens aéreas e fala na necessidade de um controlo no crescimento da população mundial.