na cidade

São quase cinco mil cidadãos e surfistas contra betão na praia de Carcavelos

Petição contra empreendimento gigante na Quinta dos Ingleses já ultrapassou as assinaturas necessárias para ser apreciada no Parlamento. Cidadãos querem salvar a praia de Carcavelos e espaços verdes.

Nesta terça-feira, 3 de abril, eram já mais de 4700 as pessoas que assinaram a petição contra este empreendimento urbanístico previsto para a linha de mar de Carcavelos. Os signatários acreditam que, caso não seja travado, o projeto vai descaracterizar toda a Costa do Estoril, colocar em risco de desaparecimento a praia de Carcavelos e acabar com o único espaço verde de dimensão considerável, naquela que já foi chamada de Costa do Sol.

No centro da polémica está um empreendimento previsto para o terreno conhecido como Quinta dos Ingleses, mesmo em frente à praia de Carcavelos, aprovado em maio de 2014 na Assembleia Municipal de Cascais, pela diferença de apenas um voto. O Plano de Pormenor do Espaço de Reestruturação Urbanística de Carcavelos-Sul (PPERUCS) possibilita a construção em toda a Quinta dos Ingleses e estão previstas para o espaço vários prédios de habitação, espaços comerciais, uma unidade hoteleira e a nova estrutura da St. Julians School.

O projeto, ou um semelhante, tinha sido chumbado treze anos antes por todos os partidos da Assembleia Municipal de Cascais.

A foto que ilustra o artigo é o “antes”. Esta será o “depois”.

Agora tem luz verde para avançar, mas Fórum por Carcavelos, Grupo Ecológico de Cascais, SOS Salvem o Surf, Cidadania Cascais, Movimento Cascais Cidade Global e milhares de cidadãos independentes garantem que o “projeto megalómano de cimento e betão vai descaracterizar toda a Costa do Estoril, colocar em risco de desaparecimento a praia de Carcavelos e acabar com o único e último espaço verde significativo junto a uma praia urbana de toda a costa dos concelhos de Cascais e Lisboa”.

Pedem a sua suspensão, uma discussão pública, e pedem a atenção do Parlamento, o que, com as quatro mil assinaturas já ultrapassadas na petição, ou seja, o número mínimo necessário para uma petição ser entregue na Assembleia da República para que seja avaliada pelos deputados, terá mesmo de acontecer.

Os contestatários, que já se manifestaram a 17 de março, pedem que a zona receba espaços verdes e de lazer, desporto e bem estar e lembram ainda que a zona entre Carcavelos e Parede está a ser alvo de uma massificação, já que na costa da praia de Carcavelos vai ser também edificada a Nova School of Business and Economics, que ocupa 10.000 metros quadrados. A Câmara de Cascais tem-se escusado a comentar o caso. Em resposta ao pedido da NiT, respondeu que “a Câmara de Cascais não comenta iniciativa de partidos ou movimentos políticos, muito menos em questões transitadas em julgado”.

Projeto aprovado em 2014.