Back in Town

“Bonecos de Estremoz” tornam-se Património Cultural Imaterial da Humanidade

A arte popular alentejana com mais de três séculos foi distinguida pela UNESCO esta quinta-feira, 7 de dezembro.

Uma distinção importante para o País.

Os “Bonecos de Estremoz” tornaram-se Património Cultural Imaterial da Humanidade, distinção atribuída pela UNESCO. Estes bonecos, em barro, são uma arte popular alentejana com mais de três séculos. A decisão foi anunciada durante a madrugada desta quinta-feira, 7 de dezembro.

Foi pela 1h15 (hora de Lisboa) que a notícia foi dada e imediatamente celebrada pela comitiva portuguesa, que mostrou exemplares dos “Bonecos de Estremoz” durante os festejos.

O embaixador de Portugal na Coreia do Sul, Manuel Gonçalves de Jesus, que esteve presente na sessão, mostrou-se “bastante satisfeito” com o reconhecimento da UNESCO. Além disso, aproveitou para dar os parabéns aos responsáveis pela candidatura portuguesa, mas principalmente aos artesãos que produzem os bonecos.

“Foi uma vitória e desta vez nem foi no futebol, foi numa área muito importante que é preservar aquilo que é muito nosso”, explica, segundo a “TVI 24“.

O presidente do município de Estremoz, Luís Mourinha, também diz estar feliz com a distinção. “No fundo, é um momento grande da história de Estremoz em termos da sua classificação, das suas gentes, porque o figurado de barro representa tudo o que é o trabalho, tudo o que é a dificuldade dos alentejanos e dos estremocenses em particular.”

É uma arte com mais de três séculos.

O presidente da Turismo do Alentejo, António Ceia da Silva, considerou uma “vitória para Portugal” a classificação, explicando que enquanto alguns dossiers demoraram horas a ser discutidos, no caso de Estremoz bastaram cinco minutos.

Os “Bonecos de Estremoz” foram o primeiro figurado do mundo a merecer a distinção de Património Cultural Imaterial da Humanidade, na sequência da candidatura apresentada pela Câmara Municipal de Estremoz, no distrito de Évora.

Esta arte, que é composta por centenas de figuras e às quais se dedicam vários artesãos do concelho, consiste na modelação de uma figura em barro cozido, policromado e efetuada manualmente. É uma uma técnica com origem, pelo menos, no século XVII.

A classificação da “Produção de Figurado em Barro de Estremoz”, mais conhecida como “Bonecos de Estremoz”, foi declarada na 12.ª Reunião do Comité Intergovernamental da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) na Ilha Jeju, na Coreia do Sul.

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo