NiTfm live

na cidade

Autocarros da Carris vão ser amigos do ambiente — e vêm aí mais elétricos

165 veículos a gás natural vão começar a circular este ano. E em 2019, chegam 15 novos elétricos a Lisboa.

Vêm aí mais carros como este (foto do blogue Diário do Tripulante).

165 novos autocarros, movidos a gás natural comprimido, foram comprados em fevereiro deste ano e no final de outubro vão começar a andar pelas ruas da cidade, anunciou este domingo a Câmara Municipal de Lisboa.

O esforço da autarquia para reforçar a frota da Carris com veículos mais amigos do ambiente está literalmente em movimento, e já há um autocarro nas oficinas da empresa municipal rodoviária, a ser preparado e decorado.

“Um autocarro não chega e está pronto a usar. Ele chega, entra nos armazéns da Carris, é equipado com os sistemas de bilhética, os sistemas de controlo, [é preciso] os motoristas terem formação no autocarro… há todo um processo entre ele estar cá fisicamente e ir para a estrada ao serviço das pessoas”, afirmou o vereador da autarquia Miguel Gaspar, à margem de um desfile de elétricos históricos, em Lisboa, organizado pela Carris. 

“Não tenho muitas dúvidas de que no final de outubro, antes do final de outubro, vamos ter os primeiros [autocarros] já no serviço público de transportes”, garantiu à Lusa, citado pela “Sábado“. “Eles vão chegar mais devagarinho nestas primeiras semanas, mas depois até julho todas as semanas vão estar a chegar autocarros”, disse ainda.

A Câmara também comprou 15 novos elétricos, esperando que cheguem no primeiro trimestre de 2019. Sobre eles, Miguel Gaspar frisou que a última vez que foram adquiridos os modelos tradicionais “foi em 1985”, enquanto “os eléctricos maiores a última vez que se comprou foi em 1995”.

“Vamos finalmente comprar elétricos passados 30 anos”, sublinhou.

A Carris está a “ultimar os cadernos de encargos” para adquirir mais veículos, continuou, sendo que “são cerca de 20 elétricos que vão ser encomendados”, com as características dos modelos maiores, o que vai permitir “expandir para o Jamor” e “chegar a Santa Apolónia”.

“Ao mesmo tempo também estamos a trabalhar no caderno de encargos dos [elétricos] mais pequenos”, que já não se fabricam, portanto é um projecto que demora mais tempo, acrescentou.

Segundo a autarquia, a maioria dos novos elétricos terá características semelhantes ao 15E, que faz atualmente o percurso entre Algés e a Praça da Figueira, do género trams.

Os elétricos serão semelhantes ao 15E.