NiTfm live

na cidade

Aquaparque do Restelo vai reabrir como parque infantil nos próximos meses

A entrada do antigo parque aquático de Lisboa vai ser transformada numa zona de diversão.
A zona vai mesmo reabrir.

Há anos que a promessa é feita e reiterada: a Câmara de Lisboa tem anunciado, sucessivamente, planos para reabrir a o antigo Aquaparque do Restelo como uma zona de diversão. As obras foram sendo garantidas e o projeto apresentado: de ali criar um polo de diversão juvenil outdoor e indoor, de acesso público livre, bem como um café de apoio. E parece que finalmente é agora — a entrada do antigo parque aquático vai mesmo abrir, como um novo espaço coberto para diferentes públicos, já nos próximos meses.

Segundo avança o”Público“, a autarquia garante agora que o equipamento está, finalmente, na “fase final de construção”. O novo espaço deveria ter reaberto no final de março, mas a câmara garante ao jornal que o fará até ao verão e que está a previsto um café para dinamizar a zona.

Na última década, a área anteriormente ocupada pelo parque aquático de Monsanto já tinha sido deliberadamente devolvida à natureza. Onde antes estavam os escorregas e túneis de água que fecharam inesperadamente por causa da trágica morte de duas crianças, no verão de 1993, hoje existem espaços com plantas e árvores. 

Fonte do gabinete do Ambiente e Estrutura Verde da CML esclareceu à NiT, em abril do ano passado, que, ao contrário do que chegou a ser interpretado, não é a zona total do Aquaparque, nem a antiga área de diversão, que está a ser recuperada. Essa já foi alvo de intervenção: “A área anteriormente ocupada pelas piscinas do Aquaparque foi totalmente naturalizada, todos os elementos construídos foram demolidos e o solo foi devolvido à permeabilidade, modelado, plantado e semeado.” Desde 2018 que está ali um parque infantil exterior, integrado na natureza e acessível ao público. 

O que atualmente está em obras é o edifício que servia de entrada ao Aquaparque, virado para a Avenida das Descobertas, que foi mantido para ser reutilizado como parque infantil coberto. O espaço terá quatro áreas de brincadeira distintas, destinadas a diferentes idades — bebés, pré-escolar, escolar e adolescentes—, bem como uma sala para festas de anos e uma grande esplanada, diz ainda o “Público”.

O jornal adianta ainda que, para além do edifício principal, vão ser colocadas mesas de matraquilhos, mesas para jogos de tabuleiro e equipamentos de fitness no exterior, protegido por telheiros.