NiTfm live

na cidade

A Rua é Sua transformou a Avenida da Liberdade no melhor spot de Lisboa

Câmara garante à NiT que a iniciativa onde os carros foram substituídos por insufláveis se vai repetir na cidade.
Foto da Câmara de Lisboa.

Não estava a trabalhar este domingo, 30 de junho, por isso não fui ao A Rua é Sua para escrever uma reportagem. Fui porque estava simplesmente à procura de um programa divertido para fazer em Lisboa com os miúdos, num dia de sol — porém com algum vento, como tem acontecido desde que este verão começou, e lembrei-me de ter recebido a informação de que o evento estava de volta, para a sua segunda edição.

Tinha escrito na NiT a notícia da primeira versão no final de maio. Lembrava-me de que a iniciativa de fechar a Avenida da Liberdade ao trânsito era ainda um pouco limitada no espaço: os carros só seriam então substituídos por atividades lúdicas e de mobilidade entre os Restauradores e a Rua das Pretas.

Estava por isso à espera de encontrar apenas uma pequena área delimitada, mas não foi assim. O segundo evento cortou a Avenida praticamente toda ao trânsito, excepção feita ao último troço já bem perto do Marquês; fê-lo entre as 11 e as 19 horas de um domingo de inicio de verão; e o resultado foi tão incrível que decidi que tinha de escrever esta peça.

Eu e a minha família acabámos por passar o dia inteiro por ali. Sem carros, com o sol entrecortado pelas históricas árvores, a artéria que é normalmente uma das mais poluídas de Lisboa (por vezes é mesmo a vencedora deste ranking negativo) parece outra.

Mais espaçosa do que nunca, cosmopolita, multifacetada, bonita como se a estivéssemos a ver com os olhos dos estrangeiros que por lá deambulavam. Mas desta vez nem sequer estava cheia de turistas, havia sobretudo famílias portuguesas a jogar à malha ou a comer gelados e hambúrgueres veggie no meio da estrada.

Estava assim.

Ou seja, na próxima edição do A Rua É Sua, saia de casa — vale realmente a pena. Depois de ver a dimensão da coisa, enviei uma mensagem a uma amiga que mora ali por perto. Passado uma hora, a sua filha já andava de uma lado para o outro ao volante de um kart. Havia karts gratuitos, sim.

Aliás, havia muito mais: trotinetes, bicicletas, aulas de ioga, para crianças e adultos. E ainda jogos antigos e tradicionais, ballet flow, cargo bike, experimentação de veículos elétricos.

E áreas lúdicas sobre o ambiente e ecologia, workshops para aprender a compostar e reciclar, oficinas para famílias para criação de mini elétricos e autocarros da Carris, construção de moinhos de vento, pinturas faciais, entre outras atividades.

Também concertos, música e Dj sets. Um insuflável gigante a meio da Avenida, lojinhas de artesanato, um mini mercado de legumes e frutas biológicas com morangos deliciosos. Até havia água da EPAL com limão a ser distribuída gratuitamente — tipo as latinhas portáveis de cerveja e sumo dos festivais de música, mas com “água da torneira”, assim mesmo descrita, refrescada com limão.

Nós andámos quilómetros, devemos ter percorrido a avenida para cima e para baixo umas quatro vezes. Foram mais de mil as pessoas que por lá passaram, adianta fonte da Câmara de Lisboa à NiT. Os miúdos adoraram.

Ainda bem, porque o evento é para continuar pelo menos até ao final do ano, garante a autarquia. À partida, será sempre no último domingo do mês, salvo raras exceções ou alterações por motivos que não estão previstos.

Foto da autarquia.

Para os próximos três meses, está confirmado que a Avenida da Liberdade será o spot oficial do A Rua É Sua, mas a câmara quer diversificar esta iniciativa.

“A Avenida é a escolha perfeita para esta altura de maior calor e do verão, pelas sombras naturais. Ainda assim, a ideia é variar e andar pela cidade. Sem dúvida que um dos eventos logo depois do verão será na zona do eixo central, avenidas novas”, diz a mesma fonte.

O objetivo de circular pela cidade faz perfeito sentido mas, confissão: já sonhava com a Avenida assim, despida de carros e com barraquinhas, jogos da malha e miúdos a correr no meio da estrada, na minha altura favorita do ano, a época do Natal. 

O conceito A Rua é Sua foi criado pela autarquia no passado mês de maio com o objetivo devolver aos cidadãos espaço público, que habitualmente é utilizado pelos carros, para caminhar, andar de bicicleta e desfrutar de atividades de lazer em família. No estrangeiro, existem movimentos semelhantes tanto em metrópoles como cidades mais pequenas, onde se procura incentivar o regresso das brincadeiras na estrada como antigamente — nem que seja apenas um dia por mês.

Em Lisboa, trata-se de uma das medidas integradas nas políticas de mobilidade em curso na cidade, que contribuem para reduzir as emissões de gases poluentes, devolver espaço público aos peões e informar sobre as ofertas de alternativas ao automóvel.

Para as próximas edições são esperadas ainda mais atividades e bancas de venda. “Quem lá esteve [comerciantes], já disse que queria voltar e o interesse é cada vez maior”, conclui a autarquia.