NiTfm live

Turismos Rurais e Hotéis

Vai nascer uma herdade de sonho em Castelo de Bode

Os hóspedes da Herdade da Foz da Represa podem chegar de helicóptero, fazer desportos aquáticos ou usar a zona de spa.

A Herdade da Foz da Represa vai nascer em Vila do Rei, junto à albufeira de Castelo do Bode, no final deste ano. Esta é a previsão de Nelson Soares, responsável pelo projeto, natural de Abrantes, e que tem trabalhado nos últimos 10 anos em gestão hoteleira na Holanda. O objetivo é regressar a Portugal para concretizar este conceito “completamente novo”, “diferente do que se costuma fazer em Portugal” e que já está a ser pensado há dois anos.

A unidade hoteleira vai ter dez bungalows, com cerca de 65 metros quadrados e piscina privativa. Os bungalows vão ser pré-fabricados na Holanda, de modo a evitar um grande processo de construção no local e reduzir os impactos ambientais. A ideia é dar “uma experiência autêntica” aos clientes, diz à NiT Nelson Soares.

O empresário quis trazer para Portugal uma abordagem diferente. Para ele, o que conta realmente é a experiência e o contacto com a cultura local. O investimento total é de cerca de um milhão de euros, de Nelson e dos seus sócios. O objetivo também é fazer com que Vila do Rei, o centro geodésico de Portugal, com uma população envelhecida, deixe de ser “praticamente desconhecido” e se transforme num sítio de turismo.

O responsável da futura Herdade da Foz da Represa admite que o público-alvo são os turistas estrangeiros, de classe média alta, e por isso a ligação com a cultura portuguesa, para fazer parte da experiência, é muito importante. Por exemplo, os lavatórios vão ser feitos de pedra, como as pias tradicionais.

“Queremos tentar de alguma maneira reinventar a nossa cultura”, diz Nelson. A Herdade da Foz da Represa vai introduzir elementos arquitetónicos e da cultura portuguesa nas suas instalações, como azulejos ou ferro forjado “em comunhão com a natureza”.

Os clientes vão poder chegar de helicóptero a Vila do Rei

Neste hotel, não vai haver restaurante. Em vez disso, serão estabelecidas parcerias com chefs locais que vão cozinhar para o hóspede no seu bungalow, caso deseje, de acordo com uma carta de gastronomia local. Os donos pretendem que haja uma experiência personalizada.

Vai haver ainda um wine bar que pretende promover os vinhos portugueses de qualidade, que serve queijos e os enchidos, além de outros produtos regionais.Está prevista também uma extensa área de wellness, com spa, banho turco, jacuzzi, sauna, sala de massagens e espaços de tratamento da pele e do rosto.

Outro dos planos que Nelson Soares tem para o seu projeto passa pela possibilidade de os clientes chegarem de helicóptero a Vila do Rei, vindos de Lisboa. Apesar da limitação de bagagem, o empresário diz que esta viagem pelas montanhas seria uma “experiência única”.

A autarquia local tem um heliporto, disponível para uso do hotel. Nelson Soares diz que os helicópteros são de empresas de Lisboa com quem estão a estabelecer parcerias. O custo da viagem não seria muito alto.

Descrito o projeto, falta apenas um parecer positivo da Associação Portuguesa do Ambiente para a construção arrancar. A área total de intervenção será de dez hectares, com “o mínimo de impacto ambiental”. Além dos bungalows, haverá um edifício principal, com a receção, de cerca de 175 metros quadrados.

As atividades de lazer vão existir consoante a experiência personalizada de cada cliente. Nelson Soares espera que eles estejam interessados em desportos aquáticos, como canoagem ou mergulho, na albufeira de Castelo do Bode.

O preço previsto, em época alta, é de 250€ euros por noite, mas pode variar consoante as atividades escolhidas.

Carregue na imagem acima para conhecer o projeto aprovado que vai ser construído em breve.