NiTfm live

opiniao

Filipa Martins: “Então Queres Ser Escritor”

A escritora lê um dos seus poemas favoritos de Charles Bukowski.

Charles Bukowski é um escritor boxeur sem luvas. O adversário é quase sempre ele próprio, mas é no nosso queixo que aterram os golpes.

Pela chancela da Alfaguara Portugal, chega às livrarias uma antologia poética do autor, com seleção e prefácio de Valério Romão e tradução de Rosalina Marshall.

Leia também o poema de Charles Bukowski na íntegra. 

Então Queres Ser Escritor

se não rebentar dentro de ti,
a despeito de tudo,
não o faças.
a não ser que venha espontaneamente
do teu coração e da tua mente e da tua boca
e das tuas entranhas,
não o faças.
se tens de te sentar durante horas
a olhar para o ecrã do computador
à procura de palavras,
não o faças.
se o fazes por dinheiro ou pela fama,
não o faças.
se o fazes porque queres
mulheres na tua cama,
não o faças.
se tens de te sentar aí e
reescrever tudo outra e outra vez,
não o faças.
se o simples acto de pensar em fazê-lo te custa,
não o faças
se estás a pensar escrever como outra pessoa qualquer,
esquece.
se tens de esperar que te saia
como um rugido,
então espera pacientemente.
se o rugido nunca te sair,
então faz outra coisa.
se primeiro tens de o ler à tua mulher
ou à tua namorada ou ao teu namorado
ou aos teus pais ou a quem quer que seja,
não estás pronto.
não sejas como tantos escritores,
não sejas como tantos milhares de
pessoas que se intitulam escritoras,
não sejas pesado e chato e
pretensioso, não te consumas com
auto-estima.
as bibliotecas do mundo inteiro
bocejam até
adormecer
com gente do teu tipo.
não aumentes esse número.
não o faças.
a não ser que te saia
da alma como um foguetão,
a não ser que ficar parado
te leve à loucura
ou ao suicídio ou ao homicídio,
não o faças.
a não ser que o sol dentro de ti
te queime as entranhas,
não o faças.
quando a hora chegar verdadeiramente,
e caso tenhas sido escolhido,
acontecerá por si.
e continuará a acontecer
até que morras ou que morra em ti.
não há outra forma.
nem nunca houve.

Os Cães Ladram Facas“, de Charles Bukowski, Alfaguara Portugal 2018