opiniao

8 razões por que deve casar-se com um corredor

São mais limpinhos, lutadores e persistentes, são saudáveis e magros. Gostam de passear e deitam-se cedo. Mas há mais. Saiba por que é que vale mesmo a pena viver com uma pessoa apaixonada pela corrida
dhjkasjas hdjahskdhaskj dhjkas dhaksd ahs.
A minha vida mudou muito desde que me tornei corredor. Não posso dizer que há propriamente o momento em que me tenha tornado corredor, porque há mais de 20 anos que participo em provas, mas há claramente uma altura da minha vida em que comecei a levar a corrida mais a sério e a assumi como o meu hóbi principal. Foi aí que a minha vida mudou, ou melhor, foi aí que eu mudei.
Ao contrário de muita gente, a primeira grande mudança que senti não foi na perda de peso. Nunca fui propriamente gordo, e mesmo antes de correr praticava regularmente desporto, por isso, não me tornei magro por correr, sem bem que ajuda, e muito. O que senti inicialmente foi um grande foco num objetivo, um constante nascimento de metas que me faziam querer cumpri-las e alcançar outras. Tornei-me mais competitivo e exigente comigo mesmo, não só nos treinos e nas provas como na vida em geral, no trabalho, nos relacionamentos. Esta crónica fala precisamente sobre isso, sobre as grandes vantagens que os homens que correm têm em relação aos outros, aos sedentários que rejeitam o exercício e um estilo de vida saudável. Dirijo-me agora às mulheres (ou homens que sejam casados com corredoras): fiquem a conhecer as 8 razões pelas quais ficam bem servidas se namorarem ou se se casarem com um corredor. Isto é tudo brincadeira, mas é a brincar que se dizem muitas verdades, como estas.
1. Os corredores são lutadores

Quem corre vive numa constante luta. Luta logo de manhã contra a inércia de sair da cama, muitas vezes em dias frios de inverno, ou de grande calor no verão. Costumo dizer que é esse momento que define um corredor: há os que ouvem o despertador tocar, desligam-no e viram-se para o outro lado e há os que saltam imediatamente da cama, calçam os ténis e fazem-se à estrada. Ser corredor é estar neste segundo grupo. Os corredores lutam também contra a preguiça, contra o relógio, contra os seus próprios limites, lutam por serem mais rápidos, mais resistentes. Lutam também uns contra os outros, em desafios e competições que fazem nas apps de corrida, lutam por serem melhores em tudo o que fazem. Se assim é, então, nada como usar essa capacidade lutadora a favor da relação. Já que vive com um lutador, obrigue-o a lutar por si, pelo casamento, pelas metas que vão estabelecendo a dois na vida. Vai ver que ele vai atrás.

Os corredores lutam também contra a preguiça, contra o relógio, contra os seus próprios limites, lutam por serem mais rápidos, mais resistentes

2. Os corredores são persistentes
É muito raro encontrar um corredor desistente. Não desistem nas provas, a menos que se lesionem. Não desistem a meio de um treino. Não desistem quando sabem que conseguem melhorar um tempo ou correr mais um quilómetro. Transportando essa persistência para fora da corrida, os corredores tornam-se melhores em quase tudo, no trabalho, em casa, em todas as atividades a que se dedicam.
3. Os corredores são mais saudáveis
Vamos ignorar a parte das lesões, porque normalmente são coisas menores, de curta duração, e que só impedem os corredores de treinar, mas não interferem com a vida. Ou melhor, interferem, porque um corredor impedido de correr tende a tornar-se carrancudo e de mal com a vida. Mas pronto, é a exceção. Por norma, um corredor regular é saudável. A corrida continuada é uma ótima forma de limpar o organismo, de o fortalecer. Os níveis de colesterol tendem a ser mais baixos, o coração torna-se mais resistente, os pulmões saudáveis, tudo isso contribui, e muito, para que os corredores estejam menos vezes doentes e vivam mais anos. Para quem vive com um corredor a única desvantagem disto é o facto de ter de o aturar até ser muito, muito velhinho, que é o mais provável. E mesmo nessa altura ainda deve correr.
4. Os corredores são mais limpinhos
A imagem que muita gente tem de um corredor é a de uma pessoa toda suada. É em grande parte verdade. Mas isto leva ao outro lado: por se sujarem muito, os corredores também passam a vida a tomar banho. Ou seja, na maior parte do tempo estão mais limpinhos e cheirosos do que os outros, porque acabaram de tomar banho e daí a umas horas vão tomar outro.
5. Os corredores são dedicados

Para se poder ser um corredor decente é preciso dedicação. Não é da noite para o dia que se começam a correr 21, 30 ou 42 quilómetros. São precisas horas e horas de treino, de planeamento de treinos, meses a sair de casa quatro e cinco vezes por semana para ir correr, mesmo quando não apetece (sim, nem sempre apetece), só que há uma distância que tem de ser corrida e, para isso, não se pode relaxar. É aqui que entra a tal persistência do ponto 2. Esta dedicação à corrida transcende os treinos. Os corredores passam horas a ler artigos na internet, a participar em fóruns na internet sobre tópicos de corrida, a ler artigos científicos sobre o funcionamento do corpo humano, a ver vídeos motivacionais, a ler críticas aos novos ténis de corrida. É uma dedicação permanente. Quem se dedica assim à corrida aprende a dedicar-se mais a quase tudo. Claro que quando nos dedicamos demasiado a uma coisa, tendemos a deixar outras para trás. Mas essas outras nunca devem ser a mulher, o trabalho e os filhos, mas sim outros hóbis. Logo, é saber canalizar este foco, esta dedicação do corredor, para as outras coisas importantes da vida.

Claro que quando nos dedicamos demasiado a uma coisa, tendemos a deixar outras para trás. Mas essas outras nunca devem ser a mulher, o trabalho e os filhos

6. Os corredores adoram passear
Cá está outra grande vantagem: quem é casado com um corredor pode ter como garantido que irá passar, no mínimo, uns 10 ou 12 fins de semana por ano a passear pelo País ou pelo mundo. É que há trails, maratonas e meias por todo o lado e os corredores adoram conhecer percursos novos, adicionar corridas ao currículo, e isso faz com que andem sempre de olho no calendário de provas, nacional e internacional, a saber onde é que podem ir correr em breve. E com eles vai quase sempre a família. Claro que o passeio é o pretexto, e o que importa é a corrida, mas a verdade é que o fim de semana, ou as mini férias, são sempre de pelo menos dois dias e a prova, quanto muito, leva quatro horas (se for uma maratona). O resto é tempo livre para aproveitar em família.
7. Os corredores não são muito de noitadas
Se por um lado gostam de passear aos fins de semana para irem a provas, por outro, os corredores são normalmente mais caseiros do que noctívagos e preferem quase sempre deitar-se cedo a ir para os copos com os amigos. Isto acontece, normalmente, porque no dia seguinte de manhã há provas ou treinos, e não dá muito jeito ir correr 20 km de ressaca. Tendencialmente, os corredores gostam de noites tranquilas em casa, com a família, a jantar com amigos, e à meia-noite já estão a olhar para o relógio porque sabem que têm de dormir aquele número de horas, ou simplesmente estão de rastos porque nesse dia acordaram às seis ou sete da manhã para ir correr.
8. Os corredores são mais magros
A corrida queima muita gordura. Não há, por isso, muitos corredores experientes gordos. Podem não ser magricelas, definidos, esculturais, mas também não são muito gordos ou obesos. A corrida ajuda a manter a linha e faz isso durante todos os anos em que o corredor está ativo, ou seja, é pouco provável que aos 50 ou 60 anos um corredor se torne num obeso, desde que continue a correr. Uma vantagem fútil, é verdade, mas a vida também é feita de pequenas vaidades.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT