nittv

My Mood: a Aldeia da Mata Pequena é um paraíso rústico a 30 minutos de Lisboa

Uma dúzia de casas recuperadas por um casal que decidiu trocar a agitação da cidade pela pequena aldeia onde se vive em união com a natureza. A NiT foi conhecê-la.

Vai uma voltinha de bicicleta pela aldeia?

A Aldeia da Mata Pequena é o local perfeito para fazer uma viagem ao passado, passar uns dias com a família e descansar a sério. Das paredes e ruínas que encontraram à chegada, Ana e Diogo Batalha decidiram recuperar as 12 casas deste povoado rural para depois apresentá-la ao mundo. Nesta aldeia de sonho, que fica a apenas 30 minutos de Lisboa e a 10 quilómetros de Mafra, as casas (divididas em T1, T2 e T3) são simples e acolhedoras, com móveis antigos e decoração rústica, o que ajuda a manter a identidade deste lugar que podia ter saído de uma história de encantar.

Aqui a ideia é acalmar, relaxar e apreciar a vida, sem distrações tecnológicas ou mil e uma atividades. Pode passear pelas ruas da aldeia, dar um passeio de bicicleta ou simplesmente sentar-se a apreciar a vista ou a ler um livro. Sabe aquelas aldeias onde se deixa a porta aberta e onde as pessoas se sentam à porta de casa, no verão, a aproveitar a brisa e a conversar com os vizinhos? É desse tipo de sítio que estamos a falar.

Mas não são só as casas e a decoração que mantêm o ADN desta aldeia. Aqui, o típico Pão de Cheleiros ainda é cozido a lenha e todas as manhãs é pendurado, ainda fumegante, dentro de um saco à porta das casas. E o que era de uma pequena aldeia sem animais? Na Aldeia da Mata Pequena há burros, cabras, coelhos e galinhas. Os miúdos vão adorar brincar e ajudar a tratar deles.

Tal como prometido, a NiT – em parceria com o LICOR 35 – dá-lhe neste domingo mais uma incrível sugestão para visitar em Portugal este verão. A Aldeia da Mata Pequena foi o local escolhido para o segundo programa da web series “My Mood”, apresentado por Inês Gutierrez.

 

Este artigo foi escrito em parceria com o LICOR 35.
Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo