Viagens

Tripulantes avisam: podem vir aí mais greves da Ryanair

Depois da paralisação de agosto, há mais paragens na agenda. Reguladora diz que os passageiros podem pedir indemnizações.
Novidades na low cost.

Se tem viagens marcadas para agosto com a Ryanair, prepare-se: os tripulantes vão estar em greve de 21 a 25 deste mês — cinco dias, entre uma quarta-feira a domingo. E até podem vir aí mais greves na low cost irlandesa nos próximos meses.

Segundo o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), o pré-aviso da paragem do final deste mês surgiu porque os trabalhadores estão em luta para que seja cumprida a legislação laboral portuguesa, a que a empresa está obrigada — como, por exemplo, quanto ao pagamento dos subsídios de férias e de Natal ou ao não cumprimento integral da lei da parentalidade portuguesa. Os trabalhadores acusam ainda a low cost de tentar impor contratos precários, em vez da passagem para o quadro da Ryanair após dois anos de serviço.

Entretanto, foi noticiado que a companhia aérea poderá despedir 500 pilotos e 400 tripulantes de cabine, devido ao impacto calculado do Brexit nos lucros e ao aumento do preço dos combustíveis. Com o anúncio, a situação agravou-se: de acordo com o “Sol“, o sindicato avisou esta segunda-feira, 5 de agosto, que à greve já convocada poderão somar-se outras.

Os representantes dos trabalhadores acusam a companhia aérea de pressão “ilegal” ao anunciar despedimentos e voltam a falar em “reiteradas ilegalidades” no cumprimento da legislação do nosso País.

“Por estas razões já foram realizados três períodos de greve e será efetuado mais um a partir do próximo dia 21 de agosto, pelo que iremos realizar mais períodos se a Ryanair continuar a não cumprir a lei”, avisou o SNPVAC.

Quanto à greve de dias 21 a 25, os serviços mínimos deverão ser definidos numa reunião esta terça-feira, 6 de agosto, na Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT).

Os passageiros têm direito a indemnizações

Com a greve, vêm inevitáveis constrangimentos aos milhares de passageiros nacionais que utilizam diariamente a low cost. Por isso, esta segunda-feira, 5 de agosto, a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) lembrou que os viajantes prejudicados pela paralisação poderão ter direito a ser indemnizados pela companhia.

Segundo este regulador, em comunicado citado pelo “Eco“, os passageiros têm os seus direitos salvaguardados pelo regulamento europeu 261/2004, o que significa que os viajantes “com títulos de transporte dos voos eventualmente afetados pela greve” na Ryanair deverão reclamar o cumprimento desses direitos, e nem precisam de intermediário para o fazer.

“Os senhores passageiros de forma a assegurar os seus direitos deverão sempre endereçar uma reclamação à Ryanair ao abrigo do supracitado Regulamento através do seguinte endereço de email: eu261@nullryanair.com“, informa ainda a nota da ANAC.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT