Viagens

Ryanair sem voos — e não há planos para voltar nos meses de abril e de maio

A low cost irlandesa só pensa retomar a circulação no próximo mês de junho.
Companhia só deverá voltar em junho.

Desde a meia-noite desta quarta-feira, 25 de março, que praticamente não há voos da Ryanair no ar. Quase toda a frota da low cost irlandesa fica agora em terra, exceção feita a um número reduzido de ligações entre a Irlanda e o Reino Unido. E a situação vai durar.

“Agora mesmo, não prevemos operar voos durante os meses de abril e maio, mas isso depende claramente das recomendações do governo, e nós cumprimos sempre estas instruções”, explicou na noite de quarta-feira o presidente executivo da low cost, Michael O’Leary.

Citado pela Lusa, o responsável admitiu que ninguém sabe quanto tempo durará o confinamento provocado pela pandemia do novo coronavírus, se bem que “a experiência da China” sugira que o período de contenção e de redução da propagação da pandemia poderia ser “de três meses”.

O responsável voltou a pôr à disposição de “todos os governos” os aviões da Ryanair para efetuar repatriamentos e voos essenciais para o “transporte de medicamentos, equipas de proteção pessoal e, se necessário, de alimentos de emergência”.

Numa entrevista ao “Finantial Times”, O’Leary disse acreditar que a companhia tenha condições para sobreviver até 12 meses sem clientes e receitas, estando no entanto a fazer uma enorme gestão financeira, que incluirá reduções temporárias de salários — inclusive a ele próprio.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT