Viagens

China proíbe criação de cães e gatos para consumo humano

O ministério da Agricultura afirma que estes animais são "companheiros".
Boa notícia.

Na sexta-feira, 29 de maio, o ministério da Agricultura da China anunciou que o país vai deixar de criar cães e gatos para consumo humano. A partir de agora, estes animais deixam de ser considerados gado.

Em declarações ao jornal “The Independent“, um porta-voz do ministério disse que a maioria das pessoas que participou num processo de consulta pública se opôs a incluir cães como gado, acrescentando que eles “são domesticados há muito tempo como companheiros e animais de estimação que guardam a casa da família, atuam nas buscas e resgates da polícia e ajudam aqueles com deficiência visual”.

No novo documento publicado pelo governo consta uma lista de 33 espécies que continuam a poder ser criadas — todas as outras estão proibidas. 

“A FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) não inclui os cães entre o gado nas suas estatísticas. Com o tempo, as ideias das pessoas sobre cidadania e hábitos alimentares mudaram constantemente e alguns costumes tradicionais sobre os cães também mudarão”, lê-se.

Há ainda uma alínea com uma menção especial: as espécies marta, raposa-do-ártico, raposa prateada e tanuki podem continuar a ser criadas, mas não consumidas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT