Viagens

Primeira pirâmide do Egito reabriu ao público depois de estar fechada 90 anos

Esteve à beira do colapso, mas uma recuperação incrível vai permitir que a estrutura com mais de quatro mil anos esteja apta a receber visitas.
A Pirâmide de Djoser.

É muito provavelmente a mais antiga do mundo e pode agora ser conhecida e visitada — algo inédito nas últimas gerações. Uma pirâmide egípcia com 4.700 anos acabou de reabrir ao público, depois de ter estado fechada durante quase nove décadas. E de ter chegado a estar, literalmente, à beira do colapso.

A notícia é avançada pelo “Daily Mail“, que explica que a estrutura de 60 metros, conhecida como pirâmide de Djoser, é considerada como a primeira pirâmide no Egito e o edifício mais antigo do mundo. Terá sido erguida em 2.680 aC.

Foi construída inteiramente em pedra pelo antigo arquiteto egípcio Imhotep na vasta necrópole de Saqqara, no sul do Cairo, e acreditava-se ser o local de descanso final do rei Djoser, fundador do Reino Antigo. Segundo especialistas e arqueólogos, a pirâmide de Dosjer terá sido na altura revolucionária, e mais tarde o protótipo das pirâmides que se seguiram, incluindo as três que estão ao lado da Esfinge de Gizé, a 20 quilómetros dali. 

No entanto, diz o jornal, com o passar dos anos as vigas de pedra foi cedendo e toda a estrutura também, chegando a pirâmide a estar à beira do colapso. Fechou em 1930 e esteve ao abandono até 2011, quando um engenheiro do País de Gales começou a consertar a tumba em ruínas.

Peter James e a sua equipa conseguiram uma obra de engenharia arriscada, perigosa e incrível, referem os meios locais, até se chegar ao ponto atual: de a pirâmide receber o ok das autoridades para poder abrir ao público.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT