Turismos Rurais e Hotéis

Dream Guincho: já abriu o novo retiro entre a serra e a praia

Fica junto da aldeia do Guincho, com vista de mar e a serra como envolvente. A inauguração teve de ser adiada por causa da pandemia.
Um espaço especial.

Os sonhos têm o seu próprio tempo. Às vezes esperamos por eles anos e quando chegam o timing não é perfeito. São, ainda assim, sonhos. O Dream Guincho tem sonho no nome mas também na sua história.

Maria do Rosário Pinto Correia, gestora e professora universitária, há muito que maturava a ideia de ter o seu próprio espaço para hóspedes, uma espécie de retiro entre o luxo e o conforto. Em 2017, encontrou o terreno certo, cerca de 7.600 metros quadrados, dos quais boa parte fazem parte de um parque natural. Os dois anos seguintes foram de planeamento e construção para chegar a uma primeira versão do Dream Guincho, ainda não como alojamento, mas já com convidados — numa espécie de ensaio para outros projetos.

Os sonhos, dizíamos nós, têm o seu próprio tempo. E às vezes não acertam no timing. O Dream Guincho teve o OK burocrático a 16 de março, dia do primeiro óbito devido à Covid-19 em Portugal. Dois dias depois, quando ficou disponível no Booking, o País entrou em confinamento. O sonho chegara na pior altura possível.

Passado o primeiro período de confinamento, o verão chegou e as reservas antes canceladas deram lugar a novos pedidos. Primeiro de portugueses, nas últimas semanas começaram a chegar os estrangeiros.

À NiT, Maria do Rosário faz uma pequena pausa após a recordar as peripécias. “Houve azar mas havia que recomeçar”. O objetivo, diz-nos, foi conseguido. E tem essa certeza sempre que um dos hóspedes lança um “que bem que me sinto aqui”.

O Dream Guincho nasceu na Malveira da Serra com vista para o Guincho e para a serra de Sintra. É “isolado e próximo de tudo” ao mesmo tempo.  Ali, quem se quiser aventurar por um trilho por Sintra, pode começar praticamente à porta de casa. A aldeia fica logo ao lado e com uma caminhada (ou cinco minutos de carro) aquele horizonte de mar fica mais próximo, em pleno Guincho.

Todo o espaço foi pensando com atenção aos detalhes. A estrutura é resistente, de betão, mas os quartos foram trabalhados em madeira e lã de rocha. “Tudo tão natural e português quanto possível”, realça. Houve cuidado do arquiteto Antonio Castello Branco e da Fusion em criar um espaço com materiais sustentáveis, devidamente enquadrado no cenário de serra envolvente.

Verde e azul a perder de vista.

O espaço está preparado para ser o tal retiro. Por isso, os hóspedes têm uma piscina exterior e, nos dias em que o sol ainda é tímido pela manhã, é fácil ouvir cedo o barulho das bolhas de bilhar a baterem umas nas outras. Além desta sala pensada para jogos, há uma zona para exercício.

Consoante a altura do ano e do número de hóspedes, os preços variam entre os 150€ e um máximo de 250€ em agosto, no pico da época alta. Inclui pequeno-almoço, mas também um momento de aconchego a meio da tarde, com chá e fatia de bolo. A atenção aos pormenores de conforto é marca da casa.

Entre caminhadas, desportos náuticos e outras atividades na zona, há muito por fazer. Não é um serviço incluído no alojamento mas o Dream Guincho serve também de guia e orientador, para saber onde comer e o que fazer. Há ainda um serviço para levar os hóspedes à praia.

O espaço não tem restaurante mas é possível pedir bebidas e refeições. A ideia passa por ter um serviço de conforto em que com um pouco de antecedência é possível atender aos pedidos dos hóspedes. Um almoço leve (15€) ou um jantar completo (30€) podem incluir bebida e opções mais frias (ao almoço) ou quentes (para o jantar).

As zonas comuns dos hóspedes são espaçosas, explica Maria do Rosário. A pandemia obrigou a cuidados extra na higienização dos espaços mas o distanciamento (e, acima de tudo, privacidade) sempre estiveram assegurados. O Dream Guincho tem por isso capacidade para receber eventos para dezenas de pessoas.

Carregue na galeria para descobrir melhor o Dream Guincho.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT