Na cidade

Queda do Vigário: a cascata portuguesa mais instagramável do momento

Nem sempre o espaço paradisíaco em Loulé tem água. Em ano de muita chuva, a cascata é um refúgio perfeito e refrescante.
Foto dos Explorerssaurus.

É um dos espaços mais incríveis do sul do Pais, mas nos últimos anos nem sempre justificava a viagem: acessos degradados, algum abandono ou o simples facto de, nos meses mais quentes, correr o risco de lá chegar e encontrar este paraíso em modo seco — uma cascata sem água  —, tornaram-se críticas frequentes, em sites como o Tripadvisor

Mas 2020 pode ser o ano em que conhece a algarvia Queda do Vigário: a avaliar pela afluência recente de alguns dos mais respeitados e influentes bloggers de viagens portugueses, a cascata de 24 metros de altura, onde a água cai sobre um enorme e cristalino lago, está perfeita.

View this post on Instagram

Welcome to our beautiful country 🇵🇹 Portugal is famous for @cristiano, but there are so much more to see and visit! Beautiful beaches, incredible food, super kind people, lots of culture and stunning waterfalls 🤩 you are welcome 💁🏻‍♀️💁🏻‍♂️ did you know this place? ☺️ ✄┄┄┄┄┄┄┄┄┄┄┄┄ #explorerssauruspresets #dirtybootsandmessyair #loveandwildhearts #couples #portugal_lovers #visitportugal #portugal #algarve #speechlessplaces #travelnow #travelcouple

A post shared by RAQUEL & MIGUEL (@explorerssaurus_) on

A Queda do Vigário fica na freguesia de Alte, concelho algarvio de Loulé. Segundo o “Guia da Cidade”, tem água da ribeira de Alte, que nasce na Quinta do Freixo e se junta com a ribeira de Algibre perto de Paderne, formando a ribeira de Quarteira.

Recentemente, o espaço sofreu remodelações e para lá chegar só tem de estacionar junto ao cemitério local em Alte, e depois descer. Além dos problemas recorrentes de seca, a Queda esteve nos últimos anos nas notícias: ao estar sucessivamente seca, muitos culpavam desvios de águas, mas a situação foi esclarecida.

Primeiro, em 2015, o “Sul Informação” referia, depois de fotos circularem na internet com a cascata seca, que as autoridades confirmavam que isto se devia a um ano de seca extrema e quase sem chuva — e não por causa de um desvio ilegal das águas.

No entanto, quando a situação de seca se repetiu, a polémica voltou: em 2019, a Lusa, citada pela “Sábado“, noticiava um protesto de moradores locais contra o desvio da água da ribeira local que alimenta a cascata do Vigário, por parte de uma exploração de citrinos.

Na ocasião, o presidente da Junta de Freguesia de Alte, António Martins, admitiu que a contestação dos moradores era legítima, “porque há documentos da Agência Portuguesa do Ambiente [APA] que dizem que a empresa [de laranjeiras] pode utilizar a água, mas tem de garantir que a água chegue à queda do Vigário”.

O autarca adiantava então, no verão passado, que a junta iria intervir e garantir que a água passaria a chegar sempre à queda do Vigário.

View this post on Instagram

🤍

A post shared by Gps 📍 (@goncalogps) on

Tudo parece ter-se resolvido, para já certamente também com a ajuda de um ano mais chuvoso do que o habitual.

A verdade é que desde que o influente casal de viajantes portugueses Explorerssaurus (que a NiT já entrevistou) lá esteve, que o espaço tem sido procurado por outros influenciadores, como Mariana Galhardas — além de outros visitantes que, nas redes sociais, mostram a cascata em toda a sua natureza, reclusão e esplendor.

Antes que o resto do mundo descubra, já sabe: quando estiver no Algarve, só tem de passar por Alte, Loulé, para conhecer um tesouro escondido.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT