Na cidade

Estado de calamidade mantém-se por mais 15 dias em 19 freguesias da Grande Lisboa

A região de Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a mais afetada pela Covid-19.
O País segue a três velocidades.

O governo anunciou esta segunda-feira, 13 de julho, que o estado de calamidade se vai prolongar durante mais 15 dias nas 19 freguesias da Grande Lisboa que já inspiravam cuidados. O anúncio foi feita esta tarde por Mariana Vieira da Silva, ministra de Estado e da Presidência, após a reunião com os cinco autarcas dos concelhos mais afetados.

O boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde dava hoje conta de um total de 46.818 casos positivos do novo coronavírus desde o início da pandemia. Lisboa e Vale do Tejo conta com 22.865, o que representa 48.8 por cento do total.

As últimas semanas reforçaram esta tendência, com mais de uma centena de focos identificados na região de Lisboa e Vale do Tejo. As 19 freguesias que mantém a mesma situação de estado de calamidade por parte das autoridades pertencem aos concelhos de Lisboa, Amadora, Sintra, Loures e Odivelas.

A ministra salienta que o “conjunto de surtos significativo na Área Metropolitana de Lisboa e ainda transmissão na comunidade” justifica a decisão, embora nos concelhos em causa se tenha verificado uma “tendência decrescente”. “Ainda não estamos descansados”, reforçou.

O número de casos por 100 mil habitantes, nestes cinco concelhos, terá entretanto decrescido de 154 para 121 casos. O sinal é tido como positivo pela governante mas ainda não permite que as medidas sejam “atenuadas”.

As regras nestas freguesias passam, entre outras, pelo encerramento da generalidade dos estabelecimentos comerciais às 20 horas. As limitações para o ajuntamos serão de cinco pessoas nas 19 freguesias; de 10 pessoas na restante Área Metropolitana de Lisboa e de 20 no resto do País. O desconfinamento mantém-se assim a três velocidades diferentes.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT