Na cidade

As cidades querem livrar-se do Airbnb — mas é muito mais difícil do que pensavam

Despeja milhões em lóbis, processa municípios e ataca os opositores. Na batalha pela habitação, Portugal parece manter-se neutro.
Graffiti em Atenas contra a expansão dos alojamentos locais na cidade.

Um grupo de manifestantes encheu as ruas de Boston e marchou até ao senado do estado de Massachusetts com uma mensagem: estava na hora de parar os investidores que compravam meia cidade para a colocar no mercado do alojamento local e, particularmente, no Airbnb, a plataforma de aluguer de curta duração mais popular em todo o mundo. À medida que estes investidores tomavam conta da cidade, famílias eram forçadas a mudar-se para os subúrbios. Os que ficavam tinham que enfrentar rendas com valores absurdos. A cidade decidiu agir e regular a situação.

A nova lei pretendia desencorajar o recurso a este aluguer e impedir a criação de pequenos hotéis em prédios só com alojamentos locais. Fazia-o através da exigência de um registo dos proprietários, exigindo também que só poderiam estar publicadas na plataforma as habitações principais de quem as aluga.

Dois meses antes de a legislação ir a votos, os proprietários que tinham as suas casas na plataforma começaram a receber emails da Airbnb. Neles, a empresa atacava diretamente Michelle Wu, uma das vereadoras responsáveis pela proposta, acusando-a de estar ao serviço dos interesses dos grandes hotéis, entre outras críticas que se vieram a provar infundadas. A lei passou e dois meses depois, o Airbnb avançava com um processo em tribunal contra a cidade.

“A Airbnb descreve-se como um pequeno serviço de partilha de casas, mas a realidade é que hoje é uma empresa que faz milhões de dólares graças a negócios que tiram partido de lacunas da lei e que gerem autênticos hotéis”

“A Airbnb descreve-se como um pequeno serviço de partilha de casas, mas a realidade é que hoje é uma empresa que faz milhões de dólares graças a negócios que tiram partido de lacunas da lei e que gerem autênticos hotéis”, explica Wu em entrevista à “Wired”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT