Na cidade

Acolhe um herói: a plataforma onde cede a sua casa e ajuda quem salva vidas

Iniciativa solidária ajuda a ligar quem tem uma habitação vazia e quem precisa dela para descansar, sem contaminar a família.
Toda a ajuda é preciosa.

“Obrigado pelas palmas, mas não tenho onde dormir.” A frase terá sido escrita por um médico, e foi o que motivou um grupo de portugueses a agir. E a criar uma solução, prática e imediata para um problema crescente: a quantidade de profissionais de saúde que, sem querer ficar em casa durante esta pandemia de coronavírus com medo de infetar a família, só precisa de um lugar onde descansar em segurança.

Acolhe um herói é a plataforma e site lançada em tempo recorde e que tem um funcionamento muito simples: cria um espaço virtual para todas as pessoas que tiverem casas ou alojamentos disponíveis os inserirem; e para os profissionais de saúde que precisem de dormir deixarem também os seus dados e o local onde necessitam de alojamento.

Ricardo Palágua, um dos fundadores, explica que, há dias, um amigo seu que é profissional de saúde pediu-lhe para dormir em sua casa, o que o levou a pensar: “devia haver um projeto que fizesse o match com quem pode acolher um herói e quem precisa de ser acolhido. Há várias pessoas que disponibilizam as casas mas ninguém tem uma plataforma onde faça esta gestão”, explica.

Surgiu assim um espaço dedicado em exclusivo a quem “todos os dias dá o corpo ao manifesto; aos homens e mulheres que põem a vida de milhões à frente das suas; aqueles que não nos viram a cara mesmo quando não respeitamos os seus pedidos para que fiquemos em casa; os que temos aplaudido em uníssono todas as noites; aqueles que se expõem todos os segundos do seu dia a uma doença que fechou milhões em casa; os que trabalham a triplicar para que possamos voltar a abraçar os nossos filhos, pais e avós”, frisam os responsáveis da plataforma.

São estas as mesmas pessoas que estão em risco diariamente “e que não podem abraçar os seus filhos, pais e avós”. Assim, quem tiver habitações vazias, sobretudo nas proximidades de hospitais e esteja disposto a ceder o espaço, só tem de preencher o formulário com os dados da habitação, tendo garantia de segurança de informação. 

A oportunidade irá depois ser entregue a um profissional de saúde que necessite do seu descanso. Segundo Ricardo, “o projeto foi feito em meras horas, em que desenvolvemos a plataforma e toda a comunicação e nós uppOut [uma empresa de criativos] assumimos toda a gestão e interligação entre o Herói e o Acolhedor. Temos uma equipa dedicada 24 horas que ao máximo irá contribuir para um melhor estar dos nossos heróis”

Para quem não tem casas vazias mas quer ajudar, pode fazê-lo: fazendo chegar a informação a alguém que possa estar em posição de ajudar; partilhando o site do projecto nas suas redes sociais ou partilhando a notícia com os seus contactos.

Além disso, se tiver uma empresa de retalho, a plataforma diz-se totalmente disponível a debater logísticas de apoio e fornecimento de bens primários de higiene e alimentação para as casas fornecidas. Quaisquer duvidas podem ser enviadas para obrigado@nullacolheumheroi.pt.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT