Na cidade

Um terço dos portugueses tem menos 580€ para gastar nas férias de verão

O questionário da plataforma Fixando revela também que 75% dos inquiridos não planeou ainda as suas férias para 2020.
Foram inquiridas 12 mil pessoas.

Já não há dúvidas que o surto do novo coronavírus está a criar dificuldades dificilmente recuperáveis na economia dos países – e Portugal não é exceção. Segundo o mais recente inquérito da Fixando, a maior plataforma nacional para a contratação de serviços locais, há 30 por cento dos portugueses com uma perda média de 581€ no seu orçamento de férias face a 2019.

O questionário online, que juntou respostas de 12 mil portugueses, realizado nos primeiros 15 dias de maio, revela ainda outros dados que explicam o impacto da Covid-19 na vida de todas as pessoas – mesmo daquelas que não são infetadas.

A análise revela que das pessoas que planearam férias, 68 por cento decidiu que vai ficar em Portugal. Este foi um dos pedidos do governo para que se consiga reestruturar o setor do turismo em Portugal. Contudo, apenas 58 por cento vai realmente de férias – os restantes inquiridos decidiram cancelá-las (38 por cento) ou viram as suas férias canceladas por agências e outras entidades (4 por cento).

Todas as pessoas que cancelaram reservas de viagens no valor médio de 1.200€ por viajante, vão perder, 940€ desse total. Aliás, apenas 23 por cento conseguiu garantir o reembolso completo, em dinheiro, dos valores já pagos.

Há ainda 75 por cento de portugueses que não planeou as suas férias de verão para 2020 – e as razões são várias. 27 por cento alega a falta de rendimentos, 24 por cento está incerto quanto ao futuro e 14 por cento tem medo de viajar durante tempos de pandemia.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT