NiTfm live

Saúde

Viver perto de espaços verdes nas cidades aumenta a esperança de vida

Quem o diz é uma equipa de cientistas da Organização Mundial da Saúde e de outras instituições.
As conclusões são impressionantes.

Se vive na cidade e perto de um espaço verde, saiba que isso pode dar-lhe mais anos de vida. Segundo uma investigação revelada recentemente, e noticiada pelo jornal espanhol “El Mundo”, o acesso a estas zonas reduz o stress, a incidência de doenças mentais e também o risco de mortalidade prematura.

Pelo menos, é isso que diz o relatório final de uma equipa de cientistas da Organização Mundial da Saúde (OMS), da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, e o Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal), em Espanha, que analisou mais de oito milhões de pessoas de sete sete países.

O grupo de especialistas não teve dúvidas de que estar exposto a parques, jardins e outras áreas verdes tem um efeito bastante benéfico.

“Estimamos que se produz pelo menos uma redução de quatro por cento na mortalidade por cada acréscimo em 0,1 no índice de vegetação a 500 metros ou menos da residência”, explica David Rojas, um dos autores do estudo que foi publicado no “The Lancet Planetary Health”.

Segundo o cientista, existem muitos fatores que podem explicar este efeito protetor das áreas verdes. Elas proporcionam mais momentos de atividade física, assim como e interação social, um fator que também demonstra melhorar o estado imunológico e mental das pessoas.

“No estudo, investigamos a mortalidade por todas as causas, mas temos dados que mostram que o impacto é especialmente notável na mortalidade associada a problemas cardiovasculares, respiratórios e cerebrovasculares”, diz, destacando que “os resultados apoiam intervenções que promovem o uso de espaços públicos para áreas verdes. Porque é uma estratégia para melhorar a saúde pública”.

Os investigadores acreditam que as zonas urbanas devem apostar em mais espaços verdes, uma vez que metade da população mundial vive nas cidades.