NiTfm live

Saúde

União Europeia está cheia de brinquedos chineses tóxicos

É esta a conclusão de um relatório realizado pelo Gabinete Europeu do Ambiente.
É preciso ter muito cuidado.

Pode respirar de alívio: não se aplica em Portugal. Porém, se tem o hábito de trazer brinquedos para os miúdos quando vai viajar para outros países, é melhor pensar duas vezes. Aparentemente, a União Europeia está cheia de brinquedos tóxicos chineses.

Um relatório realizado pelo Gabinete Europeu do Ambiente, uma rede europeia de cerca de 150 organizações não-governamentais de ambiente, de mais de 30 países, que estes produtos, a maioria de plástico e com origem na China, estão a ameaçar a saúde das crianças.

No documento divulgado esta quinta-feira, 28 de novembro, é referido que, entre outras coisas, foram encontradas contaminações perigosas por ftalatos — composto químico para deixar o plástico mais maleável e considerado cancerígeno — em crianças de 13 países, num total de 15 analisados.

Revela, também, que só este ano as autoridades bloquearam a venda de 248 modelos de brinquedos, por revelarem em testes níveis ilegais de produtos químicos tóxicos. Destes, 228 (92 por cento) foram catalogados como de “risco grave”, 219 (88 por cento) vinham da China, e 127 (51 por cento) estavam contaminados com ftalatos.

Segundo o Gabinete Europeu do Ambiente, que cita o Rapid Alert System da União Europeia (para produtos não alimentares), uma máscara na Alemanha foi detetada com 43 por cento de ftalato e produtos encontrados na Polónia e em França também estavam “seriamente contaminados”, como pode ler-se.

Porém, os brinquedos não foram os únicos produtos confiscados por conterem produtos tóxicos, mas também veículos a motor e eletrodomésticos entre muitos outros. Como explica o site “TVI24”, no relatório a que a agência “Lusa” teve acesso, as referências a Portugal são essencialmente em relação a produtos tóxicos em carros.