NiTfm live

Saúde

Há boas notícias para as pessoas alérgicas a amendoim

Durante 18 meses foi testado um novo probiótico com proteína de amendoim que aumentou a tolerância das crianças. 

Agora há crianças a sorrir assim por poderem comer manteiga de amendoim.

Como costumamos ver nas séries e filmes, as “peanut butter sandwiches” (sandes de manteiga de amendoim) estão sempre nas mochilas da escolas e nos lanches da manhã. Há até quem a coma à colherada do frasco. Porém, cerca de 250 milhões de pessoas em todo o mundo são afetadas por alergias alimentares, e neste caso — com sintomas de falta de ar, inchaço nos lábios, e arritmia cardíaca —, o amendoim é uma das causas mais comuns de morte por alergias . 

A tentar combater isso, um estudo realizado pelo Murdoch Childrens Research Institute em Melbourne, na Austrália, utilizou um probiótico com uma proteína de amendoim durante 18 meses num tratamento oral. Um mês depois, 80 por cento das crianças conseguia tolerar o alimento sem sintomas alérgicos e após quatro anos, 70 por cento delas ainda podiam comê-lo sem quaisquer efeitos secundários.

 “A importância desta descoberta é que estas crianças foram capazes de comer amendoim como crianças que não têm alergia e ainda mantêm o estado de tolerância, protegido contra reações ao amendoim”, explica Mimi Tang, investigadora deste estudo.

O estudo foi publicado no jornal científico  The Lancet Child & Adolescent Health, e dá esperança a todas as pessoas com alergia ao amendoim. O objetivo é que em vez de o retirarem por completo da alimentação, possam criar uma tolerância que lhes permita comer sem riscos.