NiTfm live

Saúde

Sabia que há um chá que diminui (e até pode cortar) o efeito da pílula?

A nutricionista Mariana Abecasis revelou tudo à NiT. Tome nota.
Cuidado. Muito cuidado.

Em todas as conversas que envolvem a utilização da pílula contracetiva, há sempre alguém que diz que é péssima para a saúde e até perigosa. Há também quem aponte que engorda, que faz crescer mais pelos e que aumenta o tamanho do peito — mas tudo não passa de um mito. Contudo, se ouvir dizer que há situações e alimentos que diminuem a sua eficácia, é melhor acreditar. Mas já lá vamos.

Entre as várias vantagens da pílula, o ginecologista Fernando Guerreiro destaca quatro: além da contraceção, é fácil de ingerir (basta tomar o comprimido nos dias estipulados), quase todas as mulheres lidam muito bem com ela, regula o ciclo menstrual e controla tanto as dores menstruais, como o fluxo das hemorragias, que acaba por ser bastante mais reduzido.

Contudo, a mais importante está relacionada com a proteção contra o cancro dos ovários. “Uma das vantagens da pílula, sobretudo no caso das mulheres que a fazem durante muito tempo, está relacionada com a proteção dos ovários, que ficam descansados e mais protegidos”, diz à NiT.

Se a utiliza como método contraceptivo, há algo que deve saber: apesar de de ouvirmos que alguns alimentos podem cortar o efeito na pílula, não há na verdade nenhum alimento comprovado que tenha esse efeito. Mas existem situações associadas à alimentação e sistema digestivo que podem provocar uma perda do efeito da pílula, aos quais se deve estar atento quando se quer evitar uma gravidez.

Há um chá, por exemplo, que pode diminuir e até cortar o seu efeito. Estamos a falar do chá de hipericão.

O chá com que deve ter cuidado.

“O hipericão é uma planta que, pelas suas propriedades calmantes, muitas vezes é usada na forma de infusão ou suplemento natural, no tratamento auxiliar da depressão e ansiedade”, revela a nutricionista Mariana Abecasis.

Segundo a especialista e autora do blogue NiT em nome próprio, este é o único alimento que parece ter um efeito direto e real na diminuição da eficácia da pílula.

“Assim, no caso de tratamento com esta planta ou de consumo regular do seu chá, deve recorrer-se a um método contracetivo alternativo à pílula”, alerta Mariana Abecasis.

De acordo com a nutricionista, há outras quatro situações que podem diminuir ou cortar o seu efeito. Carregue na galeria para saber quais são.