NiTfm live

Saúde

Quanto mais doce for o refrigerante, mais caro vai ficar — é uma das propostas do governo

As bebidas açucaradas podem ficar mais caras em 2019. É uma das medidas para o Orçamento do Estado.

A luta contra os perigos do açúcar em excesso continua. O governo quer criar novos escalões para definir o imposto que pagamos quando compramos um refrigerante. A ideia é: quanto mais doce for, mais caro fica.

É uma medida que fará parte do Orçamento do Estado do próximo ano, avança o “Diário de Notícias”. A proposta é do Ministério da Saúde e a previsão é de que entre em vigor já no início de 2019.

Além da receita fiscal, o objetivo é levar os produtores de bebidas a reduzirem o açúcar e fazer com que os consumidores comprem menos destes refrigerantes.

Por exemplo, uma bebida com mais de 80 gramas de açúcar por litro passa a pagar um imposto de 20€ por cada 100 litros produzidos (atualmente o imposto é de 16,46€).

Segundo o “DN”, o Estado vai arrecadar menos dinheiro em impostos, mas irá poupar 11 milhões de euros por ano no Sistema Nacional de Saúde. Além disso, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, irá evitar cerca de 27 mortes prematuras todos os anos.

O governo também pretende reduzir os impostos nas bebidas com baixo teor de açúcar. Os impostos continuam a não ser aplicados às bebidas com mais nutrientes, como é o caso dos néctares e até dos iogurtes líquidos.