NiTfm live

Saúde

Protetor solar duvidoso continua à venda em Portugal — mas a DECO exige retirada

Creme da ISDIN para crianças promete FPS 50+ mas só tem 15, segundo a agência do consumidor. Foi agora retirado em Espanha.
Deco chama atenção do Infarmed.

O alerta foi publicado no site da Deco esta quinta-feira, 17 de outubro: o ISDIN Fotoprotetor Pediatrics Transparent Spray 50+, um creme para o qual a agência do consumidor já tinha feito um aviso em maio, vai ser retirado do mercado em Espanha por ter um fator de proteção solar inferior ao indicado no rótulo. “Exigimos ao Infarmed que faça o mesmo” diz a DECO. 

Foi em maio deste ano que a associação que defende os consumidores em Portugal fez o primeiro alerta: este protetor solar, concebido para crianças, indica um fator de proteção solar (FPS) 50+, mas “os testes em laboratório revelam que deveria estar rotulado com FPS 15”.

A DECO adiantava então que as associações de consumidores da Bélgica e de Espanha também adquiriram, nos respetivos países, o protetor solar, obtendo os mesmos resultados: “O FPS indicado no rótulo não deveria ser 50+, mas 15. Em consequência, a proteção conferida não é ‘muito alta’, como refere o produto, mas ‘média'”, diz a associação.

Agora, com a notícia da retirada do mesmo produto em Espanha, a DECO exige intervenção imediata do Infarmed em Portugal. Na nova publicação, explica que “a Agência Espanhola do Medicamento e Produtos Sanitários (AEMPS), equivalente ao Infarmed, ordenou a retirada do mercado do produto da ISDIN após confirmar, através de análises próprias, a inconformidade denunciada, em maio de 2019, pela organização de consumidores espanhola OCU. A falha foi detetada no teste comparativo a protetores com fator de proteção solar (FPS) 50+, em que também participámos”, adianta. 

Segundo a associação, o Infarmed justifica a manutenção do protetor no mercado porque o inclui num grupo de 35 testados em julho onde não foram encontradas “inconformidades críticas que pudessem conduzir à necessidade de adoção de medidas corretivas ou restritivas, nomeadamente a recolha dos produtos do mercado”. Só que, segundo a DECO, estes resultados baseiam-se em testes feitos in vitro, e os da associação in vivo, que serão mais eficazes para a determinação do fator de proteção solar.

Finalmente, a associação diz que “os consumidores exigem que se defina a forma de devolver os produtos ISDIN Fotoprotetor Pediatrics Transparent Spray 50+ que ainda têm em casa, através dos canais de compra habituais, e que se assegure, pelo menos, o reembolso do valor pago pelo mesmo”.