NiTfm live

Saúde

O problema da SIDA pode estar resolvido em breve — diz um novo estudo

Foram analisados cerca de mil casais gays, onde se provou que a transmissão é nula se os pacientes estiverem a ser tratados.
O estudo foi feito durante oito anos.

Está à vista o fim da epidemia do VIH — é o que diz um novo estudo britânico que foi publicado esta quinta-feira, 2 de maio, no jornal médico “Lancet”. Com os resultados obtidos, chegou-se à conclusão de que a transmissão do vírus é nula quando os pacientes estão a ser devidamente tratados.

Isso poderá significar que, se todos os pacientes com o vírus fossem tratados, não haveria novos casos. Durante oito anos, foram analisados cerca de mil casais gays masculinos de vários países europeus.

Em todos eles havia um homem seropositivo que estava a receber o tratamento devido e a ser acompanhado por médicos. Não houve qualquer caso de transmissão ao parceiro nas relações sexuais sem preservativo.

Durante o estudo houve oito homens que ficaram infetados, mas os testes de ADN provaram que foi por terem estado envolvidos com outras pessoas que tinham o vírus e não estavam a receber tratamento.

“É brilhante — fantástico. Isto quase que arruma o assunto num canto”, disse ao jornal “The Guardian” uma das responsáveis pelo projeto, a professora universitária Alison Rodgers, da University College de Londres. Já havia estudos anteriores que se debruçaram sobre os casais heterossexuais e que chegaram às mesmas conclusões.

“Agora temos de nos esforçar para que esta mensagem poderosa chegue a toda a gente e que todas as pessoas que sofram do vírus recebam o tratamento adequado.” Segundo dados de 2017, existem 40 milhões de pessoas em todo o mundo a sofrer de SIDA, a condição provocada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana.

tags: SIDA, VIH, virus