NiTfm live

Saúde

Tomar banho sem se lavar: a estranha moda que tem cada vez mais seguidores

Jackie Hong, uma jornalista canadiana, não usa sabão desde 2010 e garante que não cheira mal.
O tema é polémico.

Jackie Hong tem 25 anos, e é jornalista do “Yukon News“, no Canadá. A canadiana não é propriamente famosa, mas tornou-se o rosto de uma tendência de higiene que está a ganhar cada vez mais adeptos: quando toma o banho, não usa qualquer produto para lavar o corpo. 

Jackie deixou de usar sabonete — gel de banho ou qualquer outro produto semelhante — em 2010, quando ainda estava no liceu. “Não demorou nenhum tempo até a minha pele se adaptar. Continuei porque não tive efeitos negativos, aliás a minha pele melhorou em vários aspetos. Por exemplo, a minha cara ficou menos oleosa e a pele do corpo está menos seca”, refere Jackie à NiT.

Apesar de tudo, a jornalista continua a usar champô. Mas garante que só o faz porque “o cabelo fica oleoso”. Também usa cremes, de vez em quando, e desodorizante. E garante, mais uma vez, que não aplica este tipo de produtos para disfarçar qualquer odor menos agradável decorrente da falta de utilização de sabonete ou gel de banho. “Não uso champô como se fosse gel de banho e não uso cosméticos para disfarçar o meu cheiro, uso porque gosto, ou porque servem um propósito”, assegura, explicando que “usando sabão ou não, também se transpira e por isso uso desodorizante”.

Apesar de não ver sabonete há nove anos, Jackie Hong afirma que a sua pele não tem um mau odor. “Tem o meu cheiro natural, como qualquer pessoa tem o seu. Penso que se as pessoas se lavarem só com água não cheiram mal, porque a água lava o suor“. No entanto, a canadiana lava as mãos com sabonete, e toma banho diariamente, mas só com água.

E qual a reação das pessoas quando sabem? “Não é algo que ande por aí a contar. Quando sabem, as pessoas ficam um pouco surpreendidas. Mas há quem fique chocado, ou até enojado. Normalmente ficam curiosos, querem saber o porquê”, conta.

Tal como Jackie, há várias pessoas a aderir a esta prática. E a depender apenas da nossa própria flora, com as bactérias e os micróbios que temos na pele, para equilibrar o seu PH e manter a higiene. David Whitlock é uma delas. E é até um pouco mais extremista. Citado pelo “Guardian”, o homem explica que não toma banho há 15 anos, quando alguma parte do corpo está suja, lava apenas essa parte, e sem sabão, claro.

O ex-engenheiro químico de Massachusetts (EUA) descobriu que os cavalos rebolam na terra para completar o seu nível de bactérias que estabilizam a amónia, tornando a pele menos suscetível a infeções. David não vai tão longe, mas não usa sabão para que os micróbios bons da sua pele não desapareçam.

Sandy Skotnicki, um dermatologista de Toronto e autor do livro “Beyond Soap”, citado pelo “Guardian”, explica: “não há nada de errado em só se passar por água”. “Falei com pessoas que não usam nenhum tipo de sabão há anos e estão perfeitamente bem”, assegura.

O especialista fala ainda da diferença entre a década de 1950, quando as pessoas tomavam banho uma vez por semana, e a atualidade, em que tomamos todos os dias. “Se isso mudou o microbioma da nossa pele? Eu acho que a resposta é sim. E se causou um aumento das doenças inflamatórias da pele? Eu acho que a resposta também é sim, mas não sabemos”.

Não há estudos neste campo que demonstrem os efeitos negativos do sabão ou da lavagem excessiva. Julie Segre, investigadora do Instituto Nacional de Saúde dos EUA, refere ao “Guardian”: “Na minha opinião é um campo de investigação muito promissor, mas falta muito mais ciência básica”.

A médica explica ainda que trabalha com crianças com eczema na sua clínica, mas há ainda “um longo caminho até os micróbios fazerem parte da intervenção médica”, apesar de isso “não querer dizer que não existe potencial”.

No entanto, há um ponto em que todos parecem concordar, a importância de lavar as mãos com sabonete. Mesmo quem opta por lavar apenas com água não dispensa esta prática por prevenir o contágio de doenças, como a gripe.